Uma avaliação do período da pandemia foi realizada no último dia 2 de janeiro por representantes da Associação de Empresas do Suriname (VSB) e equipe de agrupamento ministerial que monitora a Covid-19 no país.  A estabilização no número de infecções teve em pauta.

“O Suriname ainda está no meio de uma pandemia. A VSB indica que as pessoas também estão acabando de sair de um período em que houve muitos contatos sociais e reuniões, portanto, deve-se levar em consideração que o número de infecções pode aumentar ainda mais”, disse, em nota, a associação.

Publicidade

“Tem havido conversas muito construtivas sobre a abertura de partes da economia de forma segura, responsável e equilibrada, e em que termos e condições isso poderia ocorrer. Pode-se decidir conjuntamente que grande parte das empresas agora encerradas possam retomar as atividades”, disse o representante do governo.

VSB e governo entraram em acordo em relação ao período de entrega em domicílio, que seguem até 22h. “Infelizmente, ainda não foi dada autorização a vários outros setores, porque, com base na imagem que se viu e nos riscos identificados, não seria sensato reabri-los imediatamente”, concluiu a VSB.

Comentar

Comentar