A Polícia Federal faz, a partir de hoje, a reconstituição da operação policial que resultou na morte de 10 trabalhadores rurais no município de Pau d’Arco, sul do Estado. O caso foi registrado no dia 24 de maio. A polícia cumpria mandados de prisão contra suspeitos de envolvimento na morte de um segurança da fazenda Santa Lúcia. Na época, policiais afirmaram que as mortes foram resultado da troca de tiros. Laudo da perícia do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPC), contudo, coloca em dúvida a versão de tiroteio. As famílias das vítimas sustentam a versão de que os trabalhadores foram executados.

“A reconstituição será fundamental para esclarecer pontos como os locais das execuções, já que o laudo do instituto de perícias foi inconclusivo”, afirma o advogado da Comissão Pastoral da Terra, José Batista Afonso.

Publicidade

Segundo os policiais que participaram da operação, os trabalhadores que ocupavam a fazenda Santa Lúcia receberam a equipe com tiros. Nenhum policial foi ferido e os coletes usados na ação e periciados pelo CPC não apresentaram marcas de tiros.

Assim que as mortes foram divulgadas, a Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup) defendeu a operação e divulgou a versão de que houve confronto com a polícia. Diante das dúvidas levantadas em torno do caso, contudo, o comando da segurança no Estado passou a tratar o assunto com mais cautela, afirmando que vai aguardar a conclusão do inquérito.

SERÃO 4 DIAS

Hoje e amanhã, a reconstituição será feita com os sobreviventes, a partir da versão deles. Na quarta e quinta, será a vez de reconstituir o caso com a presença dos policiais que participaram da operação. O caso está sendo conduzido pela Polícia Federal.

Fonte:Dol

Comentar

Comentar