Amar Ramadhin — Foto: Luiz Paulo

Com base nas estatísticas atuais, o Governo do Suriname concluiu que a quinta onda de Covid-19 no país – com o omicron como variante dominante – já supera a quarta onda. A expectativa é que, dados os testes que são realizados diariamente, um número recorde de infectados seja alcançado até o final deste mês. Segundo o ministro da Saúde, Amar Ramadhin, o Suriname está na metade de janeiro e próximo do número recorde de testes de setembro de 2021.

Ele indica que 15.700 testes já foram realizados antes de janeiro, o que significa um percentual de 46,7%. “A quarta onda estava ‘cabeça e ombros’ acima da anterior e agora é a quinta onda acima da quarta”. Até ontem já havia mais de 9 mil casos positivos para a quinta onda. No entanto, o número de mortes não é tão alarmante quanto nas ondas anteriores.

Publicidade

Desde o primeiro caso em 12 de março de 2020, mais de 60 mil pessoas testaram positivo no Suriname até 11 de janeiro de 2022. O ministro Ramadhin diz que o Suriname saiu da quarta onda em novembro de 2021. A flexibilização que isso implicou não durou muito, pois um novo aumento começou no final de dezembro. O número de reprodução no início da quinta onda era de 9,9, mas agora caiu para 1,4.

“Durante a terceira e quarta onda, houve muitas internações nas unidades de terapia intensiva dos hospitais e a maioria das mortes também foi registrada. Esses números estão agora em um padrão mais aceitável. Omicron parece ser a variante mais dominante até o momento”, completou.

 

Comentar

Comentar