Após as conversas mantidas durante a reunião da ONU em Nova York, o primeiro-ministro Gilmar Pisas, de Curaçao, está visitando o Suriname. A intenção é aprofundar ainda mais o relacionamento com o Suriname. O Primeiro Ministro e sua delegação foram recebidos pelo Presidente Chandrikapersad Santokhi no Palácio Presidencial na quinta-feira (24). O chefe de Estado do Suriname relembrou o encontro anterior, que também foi importante para intensificar o relacionamento. O primeiro-ministro Pisas também está presente em conexão com a celebração de Srefidensi, comemoração da independência do Suriname, nesta sexta-feira (25).

Em Nova York, o primeiro-ministro Pisas havia proposto ao presidente Santokhi continuar discutindo os vários pontos levantados no Suriname. Ele considera um bom momento para continuar essas conversas na véspera do 47º Dia da Independência do país. Durante o encontro no palácio, foi discutida a possível colaboração com a Caricom. Os três países das Antilhas Holandesas, Aruba, Sint Maarten e Curaçao, estão interessados ​​em se tornar ‘membros associados’ da Caricom. Como presidente da CARICOM, Santokhi poderia facilitar a adesão à organização regional.

Os dois chefes de governo também discutiram a cooperação nas áreas de educação, agricultura e desenvolvimento econômico. O primeiro-ministro de Curaçao procurou o Suriname para obter ajuda da ilha em futuras explorações de petróleo e gás, tendo em vista que o país tem capacidade suficiente para processar esses recursos. No campo da agricultura, Curaçao espera o apoio do Suriname para o cultivo de alimentos para sua população, que conta com a disponibilização de terras para a agricultura.

O presidente Santokhi e o primeiro-ministro Pisas também discutiram oportunidades de cooperação no setor privado. Por isso, uma equipe de empresários de Curaçao também viajou ao Suriname. O chefe de estado do Suriname ficou muito satisfeito com a iniciativa de Curaçao de cooperação em diversas áreas. Ele instruiu o ministro Albert Ramdin de Relações Exteriores, Negócios Internacionais e Cooperação Internacional a fazer todo o possível com sua equipe para que a cooperação no nível de governo e negócios possa ser aumentada. Os chefes de estado prometeram um ao outro continuar as negociações para resolver os problemas das nações juntos.

Comentar

Comentar