Foto: PF/Divulgação

Deflagrada nesta terça-feira, dia 1º, a operação “Cruce”, da Polícia Federal (PF) apura no Amapá o crime de promoção de migração ilegal. A investigação tem como alvo um homem que cooptava estrangeiros e cobrava 500 dólares de cada um para custear a logística de viagem com entrada ilegal no país e ida para outros estados brasileiros.

Os policiais cumpriram um mandado de prisão preventiva e outro de busca e apreensão em Macapá. Só este ano, a apuração identificou mais de 30 pessoas como vítimas da promoção ilegal pelo investigado.

Publicidade

Durante as investigações, a PF descobriu que os estrangeiros faziam a rota Haiti/Suriname/Guiana Francesa e entravam no Brasil pelo município de Oiapoque, no Norte do Amapá. Depois, chegavam à capital do estado para se hospedarem num hotel no bairro São Lázaro, na Zona Norte de Macapá.

Foi nesse local que a operação cumpriu os dois mandados nesta terça-feira. A PF explicou que a operação é fruto de uma denúncia feita diretamente ao órgão, dando conta de que uma pessoa que trabalha como “pirateira”, cooptando esses estrangeiros e fazendo o transporte irregular, principalmente de haitianos.

Em 2021, três operações (uma dela com três fases) já foram deflagradas pela PF no Amapá para combater a prática da migração ilegal, especificamente entre o Brasil e a Guiana Francesa:

Comentar

Comentar