O Plano de Recuperação 2020-2022 do Suriname foi aprovado em conselho de governo na última quinta-feira, dia 18, com 177 medidas e projetos para recuperar e, em pouco tempo, retomar o crescimento da economia. As ações englobam produção, exportação, geração de empresa e mais 32 outras frentes de negócio e apoio.

“São 24 medidas de promoção da produção, exportação e emprego e outras 32 de apoio. Além disso, existem 34 medidas para fortalecer as instituições e combater a corrupção. Também estão inclusas 13 medidas para aliviar a carga sobre a população e mais 37 projetos para fornecer melhor educação, saúde, habitação e outros serviços”, adiantou o governo, em comunicado.

Publicidade

Os cofres vazios do estado aliada a uma alta carga de dívida de SRD 58 bilhões que o governo descobriu também devem ser reequilibrados. “Além disso, o empobrecimento de grande parte da população devido à alta taxa de câmbio herdada e à alta inflação deve ser combatido”, informa o governo por meio do Serviço de Comunicação do Suriname.

A situação da Covid-19 também foi outro agravante que prejudicou a economia, causando uma contração de quase 15% em 2020 e aumentando o desemprego. “Passados dois anos, a implementação do Plano de Recuperação deve ter conduzido a uma situação financeira e económica positiva, com uma taxa de câmbio estável e baixa inflação, o que voltará a aumentar o poder de compra dos cidadãos”, completou o governo.

A análise do Plano de Recuperação mostra que em 2021 o governo terá um déficit orçamentário de SRD 9 bilhões, correspondente a 24% do Produto Interno Bruto (PIB). “Isso é sem precedentes, mas principalmente porque até SRD 9,2 bilhões devem ser pagos em juros e amortizações de dívidas este ano”, finalizou o governo.

Comentar

Comentar