Avião bateu em ponte antes de cair em rio, matando 31 pessoas.Piloto está entre os mortos; 12 pessoas ainda estão desaparecidas.

O prefeito de Taipé, Ko Wen-je, chamou de herói o piloto de um avião da TransAsia Airways que caiu na quarta-feira por ter desviado a aeronave por um triz de edifícios e o lançado em um rio, provavelmente evitando um desastre pior.

Publicidade

Pelo menos 31 pessoas morreram quando o voo GE235 perdeu o equilíbrio em meio a edifícios, batendo com uma de suas asas em um viaduto antes de cair de cabeça para baixo nas águas rasas do rio, pouco depois de decolar de um aeroporto no centro de Taipé. Há 15 sobreviventes e pelo menos 12 desaparecidos. O piloto está entre os mortos.

O prefeito de Taipé, Ko Wen-je, chamou de herói o piloto de um avião da TransAsia Airways que caiu na quarta-feira por ter desviado a aeronave por um triz de edifícios e o lançado em um rio, provavelmente evitando um desastre pior.

Pelo menos 31 pessoas morreram quando o voo GE235 perdeu o equilíbrio em meio a edifícios, batendo com uma de suas asas em um viaduto antes de cair de cabeça para baixo nas águas rasas do rio, pouco depois de decolar de um aeroporto no centro de Taipé. Há 15 sobreviventes e pelo menos 12 desaparecidos. O piloto está entre os mortos.

O piloto e copiloto do praticamente novo turboélice ATR 72-600 estão entre os mortos, informou o órgão regulador de aviação de Taiwan. A TransAsia identificou o piloto como Liao Chien-tsung, de 42 anos.

De acordo com a mídia taiwanesa, parece que Liao se empenhou desesperadamente para desviar a aeronave de prédios de apartamentos e comerciais.

O chefe da Administração da Aeronáutica Civil de Taiwan, Lin Tyh-ming, afirmou que Liao tinha 4.914 horas de voo em seu currículo e o copiloto, 6.922 horas.

A mídia de Taiwan informou que Liao, filho de vendedores ambulantes, passou nos exames para se juntar à Força Aérea. Mais tarde, trabalhou para a China Airlines, principal companhia aérea de Taiwan, e depois passou a voar pela TransAsia.

O órgão regulador da aviação ordenou que a TransAsia e a Uni Air, uma subsidiária da EVA Airways Corp, efetuem checagens nos controles do motor e do sistema de combustível dos demais aviões ATR 22 que elas operam.

As ações da TransAsia despencaram 6,9 por cento na quarta-feira, a maior queda percentual desde o final de 2011, e voltaram a cair mais 3,3 por cento nesta quinta-feira. O acidente foi o mais recente de uma série de desastres de aviação na Ásia nos últimos 12 meses e o segundo da TransAsia em sete meses.

Autoridade de Aviação Civil de Macau disseram que os motores do avião tinham sido substituídos no Aeroporto de Macau em 19 de abril do ano passado, durante o voo de entrega da aeronave, “devido a questões técnicas relacionadas com o motor”.

Ele disse que os motores foram substituídos por engenheiros TransAsia e o avião partiu do aeroporto de Macau dois dias depois.

Lin, do órgão da aviação civil de Taiwan, disse que o avião havia passado pela última manutenção em 26 de janeiro. Ele estava equipado com dois motores Pratt & Whitney. A Pratt & Whitney integra a United Technologies.

A última comunicação de um dos pilotos foi “Mayday falha na combustão do motor”, de acordo com um registro do controle de tráfego aéreo divulgado pelo liveatc.net.

A falha na combustão pode ocorrer quando o fornecimento de combustível para um motor é interrompido ou quando há um defeito, mas aeronaves bimotores geralmente podem continuar a voar com apenas um deles.

O jornal Taiwan informou que uma comissária de bordo, identificado apenas pelo sobrenome de Huang, disse à família que se arrastou para fora da parte traseira do avião e ficou na água. “Pensei que fosse morrer”, disse.

O diário também afirmou que três pessoas de uma mesma família sobreviveram ao acidente porque todos eles mudaram de assentos antes da decolagem, passando para a parte direita do avião, o que provavelmente salvou suas vidas.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte:  G1

 

Comentar

Comentar