Foto: Polícia Civil

A Polícia Federal (PF) prendeu preventivamente 3 pessoas e cumpriu 11 mandados de busca e apreensão nesta quinta-feira (19) no Amapá. O trabalho integrou duas operações contra um grupo criminoso que atuava na migração ilegal de pessoas e no tráfico internacional de armas e munições entre a Guiana Francesa, Suriname e o Brasil.

Batizadas de “Tucson” e “Calibre”, as operações ocorreram nos municípios de Oiapoque, na fronteira com o território francês, Calçoene, Mazagão e Macapá. Todas as prisões foram realizadas na cidade fronteiriça. De acordo com PF, a organização criminosa executava a travessia dos estrangeiros e aproveitava as viagens para traficar as armas e munições. O grupo ainda fornecia estada temporária e o câmbio ilegal ilegal aos imigrantes.

Publicidade

A segunda etapa do esquema consistia no trânsito dos imigrantes, na maioria haitianos, para outros estados brasileiros. Esse transporte ilegal era feito em carros alugados e finalizado nos portos, em navios que faziam viagens de Macapá para Belém e levava a outros estados, informou a PF. As investigações foram iniciadas em setembro do ano passado, após a prisão em flagrante de “coiotes” que facilitavam a entrada de haitianos, em Oiapoque.

Os envolvidos no esquema responderão por tráfico internacional de armas e munições, organização criminosa e promoção de migração ilegal. Se somadas, as penas pelos crimes podem chegar a 32 anos de prisão. Tucson faz referência à cidade dos Estados Unidos de mesmo nome, conhecida por ser rota de migração ilegal. Já a denominação Calibre é em alusão ao recorrente comentário de bandidos aos calibres das armas e munições ilegais.

Comentar

Comentar