Amar Ramadhin — Foto: Luiz Paulo

Com mais de 1100 casos, sendo 416 ativos, 395 pessoas em quarentena, sem contar com os pacientes internados em estado grave, o Suriname vivencia um dos piores momentos no enfrentamento à Covid-19. O novo ministro da saúde, Amar Ramadhin, indicou que a capital Paramaribo e uma parte de Wanica são as áreas mais afetadas.

“O leste também está muito preocupando o governo. A situação nos campos de ouro também não dá uma imagem positiva. As medidas anunciadas pelo governo anterior permanecem em vigor por enquanto. Como o governo (atual) considera a questão da Covid-19 importante, outras decisões serão tomadas na sexta-feira”, completou Ramadhin.

Publicidade

Na última quarta, o vice-presidente Ronnie Brunswijk comandou a primeira reunião do Conselho de Ministros e, entre as temáticas, estava o combate ao avanço da Covid-19 no Suriname. A estrutura organizacional em relação a esta questão mudará um pouco. “O que é bom será preservado e o que mais precisa ser mudado também”, adiantou.

A partir de agora, a nova estrutura organizacional será composta por dois grandes grupos, no nível político e executivo. A equipe em nível de política é coordenada pelo vice-presidente Brunswijk, assistido pelos ministros da Saúde, Relações Exteriores, Negócios Internacionais e Cooperação Internacional, Desenvolvimento Regional e Esporte e pela Direção de Segurança Nacional.

Esta força-tarefa concentra-se em quatro pilares principais: segurança, parte médica, economia e sociedade e comunicação. A comunicação se concentrará principalmente na conscientização e na mudança de comportamento entre os cidadãos. O ministro Ramadhin, no entanto, disse que a situação está sob controle por enquanto, mas são necessárias ações rápidas.