Enfermeiros desconfiaram do tamanho da barriga da criança durante campanha de vacinação.

Uma menina de dez anos engravidou após ser estuprada pelo próprio pai em uma aldeia indígena de Dourados, no Mato Grosso do Sul. A gestação foi descoberta por acaso durante uma campanha de vacinação contra a gripe.

Publicidade

Durante uma atividade da escola, que levou as crianças para tomarem vacina contra a gripe em um posto de saúde da cidade.

Os enfermeiros desconfiaram do tamanho da barriga da criança, realizaram exames e descobriram que ela estava grávida de cinco meses.

O Conselho Tutelar e a mãe foram chamados e, depois de muita conversa, a menina contou que foi abusada pelo próprio pai.

A conselheira Janine Matos, que acompanha o caso, levou a menina para fazer exame de conjunção carnal e registrou boletim de ocorrência.

Agora, a intenção do conselho é evitar que o pai se aproxime da filha, informou Janine.

— Vamos nos dirigir até a casa para saber se ela está na casa da avó, se o pai está se aproximando ou não, porque a primeira ação é afastar o abusador de perto da criança para que não ocorra outras situações.De acordo com as informações iniciais, a mãe não sabia que a filha tinha sido estuprada nem que estava grávida. Segundo a conselheira, a mãe disse que vai expulsar o pai da filha de casa.

A Delegacia da Mulher já abriu inquérito, mas não pode dar detalhes porque o caso corre em segredo de Justiça.A menina de dez anos mora Bororó, mesmo lugar em que uma outra criança da mesma idade também engravidou no ano passado. Porém, no caso anterior, o pai do bebê seria um colega da escola.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: R7

 

 

Comentar

Comentar