Gabriel Diniz, o piloto Abraão Farias e o copiloto Linaldo Xavier morreram na segunda (27) após a queda da aeronave. Aeroclube de Alagoas informou que voo era uma carona.

O pai do piloto Gabriel Abraão Farias disse em entrevista à TV Gazetanesta terça-feira (28) que o cantor Gabriel Diniz não pegou carona no avião, como havia sido informado anteriormente pelo Aeroclube de Alagoas, mas que ele fretou o voo para Maceió. O piloto, o músico e o copiloto Linaldo Xavier Rodrigues morreram após a queda da aeronave em Estância (SE), na segunda (27).

Publicidade

Os corpos dos pilotos estão em Alagoas para velório e sepultamento. O corpo de Gabriel Diniz está sendo velado em João Pessoa, na Paraíba, onde será sepultado.

De acordo Erivaldo Farias, Gabriel Diniz saiu de Maceió para fazer show em Feira de Santana (BA) e retornaria para Maceió, onde iria comemorar o aniversário da namorada, Karolline Calheiros.

“Ele saiu daqui [Maceió] do aeroclube pra Salvador. Lá ele arrumou um hotel para meu filho e o copiloto ficarem. Quando terminou o show, eles iam retornar pra cá. Mas não teve carona, o voo foi fretado e o aeroclube sabia. A aeronave estava em dia e o piloto também”, afirma.

A reportagem do G1 entrou em contato com a assessoria do aeroclube, que disse desconhecer essa informação.

Os pilotos e Gabriel Diniz viajavam em uma aeronave monomotor de matrícula PT-KLO, da fabricante Piper Aircraft, que pertencia ao Aeroclube de Alagoas.

Em nota, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), informou que o avião estava em situação regular: com o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) válido até fevereiro de 2023 e a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia até março de 2020.

Contudo, de acordo com a agência, a aeronave que caiu só poderia fazer voos de treinamento ou de instrução, que era proibida para o táxi aéreo.

A ANAC abriu investigação para apurar se a aeronave fazia táxi aéreo irregular, suspendeu as operações e interditou nove aeronaves do Aeroclube de Alagoas.

Fonte: G1

Comentar

Comentar