Menina morreu de problemas respiratórios. Internação veio tarde demais, depois que nem a Justiça conseguiu transferi-la.

José Carlos, pai da bebê Emilly Vitória, de apenas três meses, voltou na manhã desta quinta-feira (26) ao Hospital Municipal Jesus, na Zona Norte do Rio, para buscar o atestado de óbito da filha.

Publicidade

A criança morreu nesta quarta-feira (25) na unidade semi-intensiva, após luta dos pais para transferi-la. Ela chegou ao Salgado Filho com bronquiolite há três semanas, mas o quarto onde ficou estava mofado, e seu quadro piorou. A família obteve liminares ordenando a remoção, mas a prefeitura só providenciou a mudança no dia seguinte ao do prazo estipulado pela Justiça. Era tarde demais.

Emocionado, ele lembrou o sorriso da filha: “É guardar bem a lembrancinha dela. O sorrizinho dela”, disse o pai.

“O que eu pude fazer eu fiz, né? Agora é fazer o enterro dela, com dignidade. É guardar bem a lembrancinha dela. O sorrisinho dela, que ficava rindo para mim. ”

José Carlos acredita que a demora na transferência da filha foi determinante para a morte de Emilly. “Ela veio para cá muito tarde. Não conseguiu vir antes. Minha esposa tem três meninas e queria muito essa bebezinha. Deus deu, mas quis tirar. Difícil, difícil”, lamenta o pai.

Quarto onde Emilly aguarda transferência está mofado (Foto: Arquivo pessoal )

Médicos realizam exames para identificar a causa da morte de Emily.

Fonte: G1

Comentar

Comentar