Uma das cientistas por trás da potencial vacina para covid-19, desenvolvida pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, disse nesta quarta-feira (1º) que a equipe tem obtido o tipo certo de resposta imune em testes, que entraram no estágio clínico de fase 3.

Falando em uma audiência parlamentar, Sarah Gilbert, professora de vacinologia da universidade, afirmou que o estudo recrutou 8 mil voluntários para a fase 3 de seu teste da vacina AZD1222, que foi licenciada para a AstraZeneca.

A pesquisadora acrescentou que não poderia apresentar um cronograma sobre quando a vacina pode estar pronta, pois a previsão depende dos resultados do ensaio.

O governo federal assinou no sábado (27) um acordo para produzir no Brasil a vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a biofarmacêutica AstraZeneca. O anúncio foi feito pelo secretário-executivo Elcio Franco.

O acordo prevê a transferência de tecnologia de formulação, o envase e o controle de qualidade. Será utilizada a previsão legal de encomenda tecnológica prevista na lei nº 10.973, de 2004, e amparada na lei de licitações, a 8.666, de 1.993.

“A previsão é que esses lotes estão previstos para dezembro e janeiro, porque a vacina de Oxford é a mais avançada”, informa Elcio Franco. “Toda distribuição será feita seguindo critérios rígidos de segurança e eficácia e vamos priorizar a vacinação de pessoas mais vulneráveis, profissionais de saúde e segurança pública”, complementa Arnaldo Correia de Medeiros.

Fonte: R7

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar