Após Câmara, Senado também aprovou plano para apoiar rebeldes sírios. Presidente diz que mais de 40 países anunciaram participação em coalizão.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quinta-feira (18) que o forte apoio bipartidário no Congresso dos EUA para o treinamento e armamento dos rebeldes sírios moderados mostrou que os norte-americanos se uniram na luta contra os militantes do Estado Islâmico.

Publicidade

Obama falou na Casa Branca logo após a aprovação no Senado, por 78 votos a 22, ao seu plano para ajudar os rebeldes na batalha contra o grupo militante sunita que tomou regiões do Iraque e da Síria. A Câmara dos Deputados aprovou o projeto na quarta-feira.

“O forte apoio bipartidário no Congresso para este novo esforço mostra ao mundo que os americanos estão unidos para enfrentar a ameaça do Estado Islâmico, que tem abatido tantos civis inocentes”, disse Obama.

Ele afirmou que o programa aprovado pelo Congresso ajudará a fortalecer os rebeldes sírios para combater o Estado Islâmico dentro da Síria.

Isso estava de acordo, disse o presidente, com a estratégia do governo de que as forças dos EUA destacadas para o Iraque não teriam uma missão de combate.

“Como eu disse aos nossos soldados ontem, podemos nos juntar com aliados e parceiros para destruir o Estado Islâmico sem tropas norte-americanas lutando em outra guerra terrestre no Oriente Médio”, declarou.

Obama acrescentou que mais de 40 países, incluindo nações árabes, ofereceram assistência como parte da coalizão contra o grupo militante e que a França ajudará nos ataques aéreos contra alvos do Estado Islâmico no Iraque.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: Reuters

Comentar

Comentar