A boa notícia foi confirmada oficialmente pelo embaixador do Brasil em Suriname, Sr. Laudemar Aguiar, na sexta-feira, 13 de julho.

Laudemar Aguiar – Embaixador do Brasil em Suriname (Foto: Luiz Paulo)

De acordo com o embaixador, os brasileiros serão beneficiados com o novo projeto de legalização do Ministério da Justiça e Polícia do Suriname.

Publicidade

“Após reunião com a Diretora de Imigração do Ministério da Justiça e Polícia do Suriname, Sra. Rachelle Groenveld, e assessoras, na Embaixada do Brasil na manhã de sexta-feira (13), confirmo a informação de que o novo projeto de regularização migratória (Legalisatie 7), iniciado em 9 de julho e que será concluído em 15 de dezembro, terá seu custo reduzido de USD 600 para USD 400 para todos os brasileiros que tiverem ingressado legalmente no Suriname”, informou o embaixador Laudemar Aguiar, em comunicado compartilhado com o jornal LPM NEWS.

Uma outra novidade conquistada através da boa relação do Governo brasileiro com o Governo do Suriname, é que o Departamento de Imigração do Ministério da Justiça e Polícia (JUSPOL) também passará a aceitar que brasileiros que ingressaram ilegalmente no Suriname, também sejam beneficiados no projeto “Legalisatie 7” (embora, para estes, o valor permaneça em USD 600).

Também foi confirmado pelo embaixador, a cooperação de 3 funcionários do Departamento de Imigração para se juntarem à equipe da Embaixada no Consulado Itinerante em Antonio do Brinco, para prestarem informações sobre o novo projeto de legalização lançado pelo Governo do Suriname. Na oportunidade, estes funcionários, estarão esclarecendo sobre a situação dos brasileiros que já se inscreveram em projetos de legalização anteriores.

“A equipe do Ministério da Saúde do Suriname em Antonio do Brinco também deverá ser reforçada durante o Consulado Itinerante na fronteira entre o Suriname e a Guiana Francesa”, finalizou o embaixador Laudemar Aguiar, que tem empreendido esforços no sentido de alcançar o maior número possível de brasileiros que trabalham nas regiões de garimpo.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar