No dia 8 de março, a União das Mulheres no Suriname chama a atenção da sociedade para a violência contra a mulher. 

Asha Mungra - USV
Asha Mungra – USV

De acordo com Asha Mungra, presidente da União de Mulheres do Suriname, mulheres e meninas no Suriname são vítimas da violência e vivem em grande ansiedade e noites sem dormir por causa do medo da violência.

Publicidade

“Meninas e mulheres jovens são atacadas quase que diariamente nas ruas. As mulheres são roubadas, estupradas e esfaqueadas”, disse Asha Mungra em um comunicado de imprensa nesta quarta-feira, 8 de março.

Segundo Asha Mungra, estupro e desaparecimento de meninas tornou-se comum em nosso país. A presidente da União de Mulheres do Suriname considera que é escandaloso que os formuladores de políticas, como o ministra da Justiça e Polícia, A chefe de polícia e a presidente da Assembléia Nacional (DNA) não consigam garantir a segurança de mulheres e crianças no Suriname.

“É decepcionante que as autoridades responsáveis em proteger esses grupos vulneráveis estejam falhando em cumprir as suas tarefas. É surpreendente que a presidente da DNA não organize reuniões de emergência para denunciar essa violência”, salientou Asha Mungra.

A presidente da União de Mulheres do Suriname espera que as mulheres parlamentares possam fazer a diferença. “Este é um grito de socorro para o presidente, que infelizmente parece que perdeu a noção da realidade enquanto o Suriname é ameaçado pela crise financeira e a falência econômica.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar