Desiludida com o fim do relacionamento com um magnata árabe, Laura Vanessa Nunes, de 39 anos, burlou a segurança e saltou para a morte do 148º andar do Burj Khalifa, o prédio mais alto do mundo, que fica em Dubai. Ela namorava o homem de negócios, cujo nome não foi divulgado, mas o empresário decidiu terminar tudo, o que motivou o suicídio.

Laura, que tem cidadania portuguesa e sul-africana, conheceu o homem há cinco anos nos Emirados Árabes. Segundo a mãe dela, Leona Sykes, Laura era apaixonada pelo árabe, mas ele já não gostava mais dela nos últimos meses e rompeu o relacionamento.

A mulher então subiu num dos pontos mais altos do edifício, famoso por atrair turistas. O local de visitação fica a cerca de 550 m de altura (ou 1804 pés). É ali que está localizado o deck de observação. Fica a quase 300 m do ponto mais alto da torre (a 2716 pés ou quase 828 m, como indica gráfico acima). Ela caiu no terraço do terceiro andar, onde está um restaurante. O suicídio ocorreu num domingo à tarde, quando o lugar fica lotado.

Desse deck aberto a visitação se pode ver a cidade toda. E foi desse ponto que Laura conseguiu enganar os seguranças para se debruçar nessas janelas,Laura se atirou após subir nas janelas do 148º andar. Câmeras de segurança gravaram as imagens do suicídio.

De acordo com a mãe, o empresário não quis falar sobre o caso e negou à polícia que tivesse um relacionamento com mulher

Mas investigadores conseguiram descobrir pistas de que ele viveu e se relacionou com Laura — na foto ela aparece com a filha dela, fruto de um relacionamento com outro homem. A polícia descarta qualquer ligação do empresário com a morte de Laura.

A mãe disse que Laura se encontrou com o homem com quem teve um relacionamento duas noites antes de se matar. O magnata, no entanto, não quer conversa com a família de Laura. Diz que só vai dar informações à polícia sobre o caso.

O caso aconteceu em novembro de 2014, mas só foi divulgado esta semana pelas autoridades dos Emirados Árabes. O país é conhecido por controles rígidos de informação. Jornais, TVs e portais costumam ser censurados pelo governo .

As frestas acabaram fechadas após a tragédia. Foram instaladas novas câmeras e os proprietários mandaram colocar mais equipamentos de segurança no local para evitar outros episódios de suicídios.

Laura, que era massagista profissional, estava em Dubai tentando obter um visto de trabalho. Durante o relacionamento com o empresário, ela chegou a viajar com ele para o Catar e a Arábia Saudita.

Muitas das pistas sobre o relacionamento dela com o empresário podem ter sumido. As mensagens que estavam no celular dela, por exemplo, estavam no cartão de memória do aparelho, que sumiu após a queda. O telefone, sem o cartão, foi devolvido à mãe dela.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: R7

 

 

Comentar

Comentar