A ciclista Marlene Biharie, de 63 anos, foi morta após ser atropelada por uma Van na Tourtonnelaan, na segunda-feira, 17 de junho, por volta das 4h40. No local, a polícia encontrou o corpo de Biharie junto com algumas sacolas vazias, um espelho lateral e um para-choque. O para-choque e o espelho pertenciam ao veículo do infrator.

Os parentes da vítima afirmaram que a mulher era uma vendedora de jornais há 29 anos e que ela estava indo coletar os jornais. O motorista da Van bateu na mulher e seguiu em frente. A polícia da região central recebeu a denúncia e ao sair para averiguar o caso encontraram uma Van com um pneu furado que trafegava pela rua. Os policiais suspeitam que o veículo pudesse estar envolvido na colisão e iniciaram a perseguição.

A polícia conseguiu forçar o motorista a parar e durante a abordagem, os policiais perceberam que o motorista estava sob a influência de álcool. Eles também notaram que o espelho lateral e um para-choque estavam faltando no veículo. O motorista de 36 anos de idade J.S. foi transferido para a delegacia de polícia e submetido a um teste do bafómetro. Ele soprou 960 microgramas de álcool por litro de ar exalado. O teor alcoólico permitido é de 220 microgramas.

O suspeito foi interrogado após ficar sóbrio e segue detido. A Van e as outras mercadorias foram apreendidas até a investigação. Após a coordenação com o Ministério Público, o corpo de Marlene Biharie foi confiscado. Com a morte da ciclista, o barômetro de tráfego nacional é de 31

Foto: Rede Social

.