O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, usou as redes sociais nesta sexta-feira (9) para criticar o benefício de “saidinha” dado a assassinos de pais ou filhos para deixarem a prisão na data comemorativa do Dia dos Pais. Segundo ele, a medida é “imoral” e “afeta a confiança das pessoas na Justiça”

“Parricidas ou filicidas não deveriam sair da prisão em feriado do dia dos pais. É imoral e afeta a confiança das pessoas no império da lei e da Justiça. Mas não adianta culpar o juiz. Precisa mudar a lei atual. Apoie o projeto de lei anticrime”, escreveu.

PUBLICIDADE

Antes, Moro havia compartilhado uma publicação em que o presidente da República, Jair Bolsonaro, criticava o benefício dado a Alexandre Nardoni, condenado a 30 anos de prisão pelo assassinato da filha, Isabella.

“O caso Isabella, ocorrido em 2008, repercutiu em todo o Brasil. A criança de 5 anos foi jogada pela janela de seu apartamento. Hoje o pai, condenado pelo assassinato, é beneficiado pela saída temporária de dia dos pais. Uma grave ofensa contra todos os brasileiros. Lamentável!”, disse o presidente.

“Tem coisas na legislação brasileira que não dá para entender, como diz o presidente. Estamos trabalhando para mudar. No projeto de lei anticrime, consta a vedação de saídas temporárias da prisão para condenados por crimes hediondos”, comentou o ministro.

Nardoni, condenado em março de 2008, deixou na quinta-feira (8) a Penitenciária II de Tremembé, no Vale do Paraíba, interior paulista, para a saída temporária de Dia dos Pais. Ele ganhou o benefício do regime semiaberto em abril por “bom comportamento”. Essa foi a primeira vez em que ganhou a “saidinha”. Ele deve retornar à prisão até segunda (12).

Fonte: Jovem Pan