O pronunciamento do Ministério da Saúde foi feito após a denúncia de que grande parte dos medicamentos usados no combate contra a malária são falsos e não produzem o resultado desejado.

“Os medicamentos contra a malária que oferecemos estão sendo comprados de fabricantes específicos na lista da Organização Mundial de Saúde (OMS)”, disse Headley Cairo, coordenadora de diagnóstico e tratamento do programa de malária do Ministério da Saúde nesta segunda-feira, 11 de dezembro.

Publicidade

Segundo a representante do Ministério da Saúde do Suriname, nos países de baixa ou média renda, um em cada dez medicamentos que estão à venda, são falsificados ou de má qualidade e de acordo com a OMS, são principalmente antibióticos e medicamentos contra a malária.

Headley afirmou ainda que no país existem medicamentos em circulação que entraram clandestinamente através dos contrabandistas de medicamentos e o Ministério da saúde não pode dar garantias sobre a qualidade desses medicamentos adquiridos fora dos órgãos oficiais de combate a malária.

A coordenadora de diagnóstico e tratamento do programa de malária do Ministério da Saúde termina dizendo que até agora não foram recebidas reclamações sobre os medicamentos contra a malária que o BGVS fornece e explica que regularmente são realizados testes para investigar se a medicação ainda é eficaz.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar