Marido espanca esposa e mutila vítima ainda viva
Publicidade

Uma mulher identificada como Nádia Xavier da Silva, de 37 anos, foi espancada e esfaqueada várias vezes pelo próprio marido. Por fim, foi mutilada quando ainda estava viva. A brutalidade do crime chocou os peritos que descreveram o cenário da casa como um “filme de terror”.

O feminicídio foi registrado  em Formosa, no Entorno do DF, neste domingo (28). O assassino foi o companheiro de Nádia, o soldador Ramiclid Bruno Alves, de 31 anos, que se enforcou após assassina-la.

Publicidade

Parentes desconfiaram que Nadia não atendia aos telefonemas e foram até a casa do casal. Um cabo de vassoura ensanguentado estava ao lado do corpo. A polícia suspeita que Nádia teria sido empalada pelo homem.

Segundo os peritos, havia muitas garrafas de cerveja vazias no local. “Pela dinâmica, eles beberam muito e, logo depois, houve um desentendimento. Ela foi espancada brutalmente em uma área externa, onde havia muito sangue. Seu nariz também foi quebrado em razão da violência empregada”, explicou um dos peritos, que preferiu não se identificar.

Em seguida, o homem usou uma peixeira e cortou os cabelos da vítima, arrancou seus lábios e a jogou na cama de um dos quartos. “Ele ainda cortou pedaços do corpo dela, a mutilando e, no final, enterrou a faca tão profundamente que a impressão é que a vítima havia sido morta com uma estaca, pois só o cabo estava aparente”, disse.

Histórico violento

O delegado titular da Delegacia Especial de Atendimento a Mulher (Deam) de Formosa, Yasser Yassine, informou que Nádia já havia representado queixa contra o marido. Em 2018, Bruno foi preso por agredir Nádia e morder seus lábios e sobrancelhas.

Ainda segundo a delegado, na época, o soldador foi autuado por lesão corporal e ameaça, mas o casal retomou o relacionamento em seguida. “Mesmo assim, quando esse primeiro crime ocorreu, ele prometeu à Nádia que cortaria seu pescoço caso se relacionasse com outro homem”, explicou o delegado.

Comentar

Comentar