De acordo com a imprensa francesa, cerca de 1,5 milhão de pessoas participaram da manifestação na capital francesa.

A manifestação histórica e em homenagem às vítimas dos ataques que deixaram dezessete mortos nos últimos dias levou cerca de 1,5 milhão de pessoas às ruas de Paris neste domingo, de acordo com informações do jornal Le Figaro obtidas com os organizadores do ato. No restante do país, outras manifestações ocorreram, levando, até o início da tarde do Brasil, 700 mil pessoas.

Publicidade

Pouco antes das 15h (12h de Brasília), horário marcado para o início da marcha, a Place de la République, de onde partiram os manifestantes, estava repleta de pessoas segurando cartazes, flores, canetas e lápis para o ato em favor da liberdade de expressão. Cerca de 1 milhão de pessoas são esperadas para a caminhada que irá sentido Place de La Nation. De acordo com a imprensa francesa, cerca de 50 líderes mundiais confirmaram presença no ato, que tem a segurança feita por mais de 2.200 homens, além de helicópteros, cães farejadores e câmeras de monitoramento.

O presidente François Hollande, acompanhado de autoridades como a chanceler alemã Angela Merkel, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o ex-presidente Nicolas Sarkozy, seguiu com a passeata pouco depois de seu início, por volta das 15h30 (12h30 no horário de Brasília) e deve ir até a Câmara Municipal, de onde segue com os líderes até o Palácio do Eliseu, enquanto a passeata segue para a Place de La Nation. A marcha é liderada pelas famílias das vítimas dos ataques, seguidas por políticos, sindicalistas, autoridades religiosas e a população francesa.

Confirmaram presença na manifestação líderes como o italiano Matteo Renzi, o espanhol Mariano Rajoy, o britânico David Cameron e o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas. O embaixador brasileiro na França, José Bustani, será o representante de Dilma Rousseff na marcha.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: Veja

Comentar

Comentar