A polícia apreendeu ontem (12), um adolescente de 17 anos tido como o principal suspeito de ter torturado e estuprado quatro mulheres no município de Marituba, na Região Metropolitana de Belém. Uma delas, que estava desaparecida desde sexta-feira (10), foi encontrada morta numa área de mata vizinha ao conjunto Beija-Flor. Uma outra vítima continua internada no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua.

PUBLICIDADE / ADVERTENTIE

Os crimes teriam sido cometidos entre os dias 3 e 11 deste mês e tinham em comum o fato das vítimas trabalharem com a venda de produtos de beleza, manicure e cabeleireiras. O criminoso entrava em contato com elas pelas redes sociais e se apresentava como cliente. Com uma das vítimas ele chegou a se apresentar com o perfil falso no qual se identificava como “Rayssa” no WhatsApp.

Um homem adulto que, segundo a Polícia Civil, pode estar envolvido com os crimes também foi detido e levado até a Seccional de Marituba para prestar esclarecimentos. Até o fechamento desta edição, ainda não se tinha informações sobre o desfecho dos procedimentos com os suspeitos. Nenhum nome foi divulgado nesse início das diligências.

Na casa do adolescente a polícia apreendeu aparelhos de telefone celular e a bicicleta que teria usado para transportar as vítimas de dois dos estupros. Foi apreendido também uma camisa de mototaxista e uma motocicleta.

Os três últimos crimes teriam sido praticados na sexta-feira (10), dia em que a cabeleireira Samara Mescouto, de 20 anos, desapareceu após ser chamada para fazer o cabelo de uma nova cliente, em Marituba. O sumiço da jovem teve ampla repercussão nas redes sociais e também na imprensa. A família fez campanha para encontrar a jovem.

Samara é sobrinha do deputado federal Eder Mauro, que também é delegado e se envolveu nas investigações para encontrar a jovemA Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) e as equipes se uniram à Seccional Urbana de Marituba durante os trabalhos. O corpo da cabeleireira foi encontrado ontem a noite, numa área de mata próxima a casa do suspeito.

CRIMES

O delegado Adelino Neto, titular da Seccional de Marituba, já trabalhava na apuração de outra denúncia, registrada na manhã de sábado (11), sobre os estupros de duas irmãs – uma delas manicure – que foram atraídas para o município da mesma forma: atender uma nova cliente.

A manicure, de 20 anos, mora no bairro da Sacramenta, em Belém, e anuncia o seu trabalho nas redes sociais e foi por lá que uma suposta moradora de Marituba contratou seus serviços para o sábado de manhã. Ao chegar no lugar combinado, na BR-316, centro da cidade, a manicure telefonou para a contratante e quem a atendeu foi um homem, que se apresentou como marido da cliente e alegou que a esposa tinha ido a feira. Disse ainda que iria buscar a manicure no lugar combinado. O homem demorou cerca de uma hora e quando chegou foi numa bicicleta. Até então, ele não sabia que a irmã da vítima estava junto e alegou que teria que levar uma de cada vez. A manicure foi primeiro.

A irmã, que também não será identificada, segundo a apuração, passou a se preocupar com a demora do homem. Tentou contato com a manicure e não foi atendida. Ela seguiu pelo caminho em que os dois tomaram até avistar o então ciclista que se aproximou e disse que teria ido busca-la. A jovem disse que ele pedalou em direção a estrada do Uriboca. E, ao passar próximo a uma área de mata, passou a agredi-la com tapas e ordenou que tirasse a roupa.

DEPOIMENTO

De acordo com o depoimento da vítima, além da violência sexual ele ainda roubou cartões, joias, dinheiro e o celular. Chegou a tentar estrangulá-la, mas ela travou luta corporal e depois implorou que não a matasse. O suspeito deixou a vítima seminua na mata e fugiu. Após andar alguns metros a vítima disse que encontrou pessoas que a ajudaram e a levaram até o galpão de uma empresa. Os seguranças de lá então passaram a procurar pela manicure.

Ela foi encontrada inconsciente na mata. Uma ambulância foi acionada e as vítimas conduzidas para o Hospital Metropolitano, onde a manicure segue internada em estado grave. A forma foi a semelhante de outro crime, no último dia 3, quando houve o estupro e agressão de uma jovem de 20 anos, moradora de Benevides.

A vítima, que teve o nome preservado, vende cosméticos por meio de catálogo e costuma anunciar alguns produtos em seu perfil no Facebook. Uma pessoa que se apresentou como “Rayssa” na janela de bate-papo encomendou uma máscara facial e um batom. Combinou para a vendedora entregar os produtos em sua casa, mas que o ponto de encontro seria na Praça Matriz de Marituba.

Ao chegar no local confirmado, a suposta cliente disse que tinha dado à luz recentemente e, por estar de resguardo, pediu a um mototaxista de confiança que fosse buscá-la. A vendedora subiu na moto e, durante o percurso, estranhou a distância, mas o suspeito reforçava o tempo todo que a “dona Rayssa” estava esperando.

Ao passarem por uma área de mata ele passou a agredi-la e abusar sexualmente. Ontem, a vítima foi chamada e reconheceu o adolescente como o autor da agressão e do estupro. A irmã da manicure também reconheceu o adolescente como o agressor.

Fonte: Dol

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui