Apesar das aulas terem começado há 4 semanas atrás, mais de 200 crianças da região Duwatra, no distrito de Brokopondo, continuam sem aulas na única escola da aldeia.

O Ministério da Educação (Minov) tem feito pouco para retomar o processo de ensino na aldeia.

Publicidade

Até ano passado, quando a Igreja evangélica do Suriname (EBGS), estava na aldeia as crianças desfrutavam do ensino escolar. Porém, após a finalização do trabalho da igreja na aldeia,  as crianças ficaram sem aula.

Com a partida da (EBGS), a única escola da aldeia está fechada. Tanto os móveis como os professores foram levados pela (EBGS).

Desde 2013, o Ministério da Educação começou a construção de uma nova escola que já está concluída, porém ainda não há professores e nem móveis no local. Apesar do Ministério ter garantido que a aldeia iria iniciar normalmente o ano letivo, no meio de setembro foi anunciado que não aconteceria como previsto.

A membro da Assembleia Nacional, Diana Pokie, está descontente com o fato de que mais de 200 crianças, desde 06 de outubro, estejam impossibilitadas de ir a escola.

Eu fui informada que há duas professoras disponíveis para dar aula na aldeia. É difícil encontrar professores, mas o Ministério da Educação tem que encontrar uma solução. O ministério deveria ter agido desde setembro, quando foi anunciado que as aulas não iriam começar dia 01 de outubro.

As  aulas perdidas já são um prejuízo para os alunos de todas as classes que terão muita dificuldade para acompanhar as outras crianças que já estão estudando desde o início do ano letivo normal. Disse Diana Pokie.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar