O lote de madeira ilegal, que foi interceptado em contêineres no porto do Suriname, pertence a um exportador chinês, segundo as autoridades do país. Toda a matéria-prima apreendida já estava lacrada e o governo segue investigando o caso e acredita se tratar de um esquema criminoso que funciona há anos.

 

Publicidade

Segundo um porta-voz do governo, não é a primeira vez que madeira ilegal sai do Suriname dessa forma. “As informações disponíveis para as autoridades surinamesas mostram que, cada vez menos, é declarado nas exportações o que de fato sai do nosso país”, completou o representante.

 

Do lote de 100 contêineres no Nieuwe Haven, 40 foram examinados e tinham madeira. Todos os contêineres foram lacrados pela alfândega. “Que isso vem acontecendo há anos e os chineses estão envolvidos nisso já ficou claro em 2018”, reiterou o porta-voz durante esclarecimentos sobre o caso.

Comentar

Comentar