Os pescadores da Guiana ainda aguardam suas licenças oficiais do governo do Suriname para exercer seu comércio nas águas do Suriname. Inicialmente, eles iriam receber suas licenças em janeiro deste ano, mas, segundo o ministro da Agricultura, Zulfikar Mustapha, o atraso no repasse deve ser corrigido em breve.

“Ainda estamos conversando com o Suriname e espero que possamos chegar a um acordo em breve. A última vez que falei com o ministro da Agricultura [Suriname] foi no Equador e ele me disse que em breve eles nos enviarão uma proposta de acordo e estou ansioso por isso”, disse.

Publicidade

Quando questionado sobre um cronograma definitivo, o ministro respondeu: “Eu disse a ele [ministro da Agricultura do Suriname] que é necessário para nós na Guiana e espero que consigamos em breve”.

Os pescadores da Guiana reclamam há anos do aluguel superfaturado de licenças para operar nas águas do Suriname. Em agosto de 2021, os dois países chegaram a um acordo de que as licenças serão emitidas diretamente para 150 pescadores guianenses.

O presidente da Câmara de Comércio de Upper Corentyne, Krishnand Jaichand, explicou que os pescadores guianenses que operam ao longo do Corentyne têm que pagar cerca de US$ 3 mil para pescar sob um acordo ilegal com uma empresa de pesca licenciada no Suriname.

 

Comentar

Comentar