Internada durante uma semana, exames mostraram que tinha pequena deficiência cardíaca.

A jovem Sarah Brison, de 23 anos, relatou o momento em que pensou que fosse morrer. Ela teve um ataque cardíaco e os médicos disseram que o responsável foi o remédio contraceptivo. Depois de ficar internada durante uma semana, os médicos descobriram uma pequena deficiência cardíaca, que acreditam ter causado o ataque. Agora, ela precisará tomar remédios para o coração para o resto da vida

Publicidade

Ela acordou em um dia se sentindo mal, e achou que estava tendo um ataque de pânico. Sua visão começou a escurecer e ela ficou desesperada.

— Quando comecei a perder a visão eu percebi que precisava de ajuda médica. Também estava sentindo dormência no corpo e não parava de suar. Foi terrível

Sarah sempre praticou exercício físico e cresceu jogando futebol em um time semi profissional de sua cidade, Guildford, na Inglaterra. Ela já tomava a pílula há sete anos

No hospital, os médicos disseram que a pressão sanguínea da jovem estava extremamente baixa, e que o coração precisava fazer muita força para conseguir bombear o sangue.

— A única coisa que eu perguntava aos médicos é como aquilo era possível, já que eu estava com 23 anos. Estava com muito medo de morrer

Exames mais específicos mostraram que ela tinha um problema no coração, explicou o médico do caso.

— Ela tinha um buraco entre as cavidades do coração. Isso é bastante normal, mas é difícil que aconteça algum problema por causa disso. No caso dela, um coágulo passou por esse buraco e causou o ataque cardíaco

Hoje a jovem carrega uma bombinha para eventuais problemas e passa por terapia, porque ficou muito abalada com o ataque cardíaco nessa idade. Além disso, os médicos ainda acreditam que ela precisará de uma cirurgia para fechar o buraco que possui no coração

Depois da internação, Sarah conta que mudou sua visão do que é realmente importante na vida.

— Agora mudei minhas prioridades. Agora dou valor às coisas que são realmente vitais

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: R7

Comentar

Comentar