Menor, de 16 anos, confessou ter cometido o crime em depoimento à Polícia Civil.

Um adolescente de 16 anos confessou nesta segunda-feira (10) ter assassinado o jornalista André Luiz de Sá, 39, em Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha. O assessor da prefeitura da cidade foi morto a pauladas por causa de um desentendimento em um programa.

De acordo com a Polícia Civil, o jovem afirmou que receberia R$ 100 e um celular pelo encontro. Os dois acabaram discordando e a vítima não aceitou pagar o combinado, o que motivou o crime. O delegado Cristiano Castelucci Arantes irá apresentá-lo ao Ministério Público e solicitar ao Juizado da Infância e da Juventude a internação do rapaz por homicídio qualificado, praticado por motivo fútil e com recurso que dificultou a defesa da vítima.

Segundo o policial, o garoto é conhecido na cidade por envolvimentos constantes com a prática de furtos e pelo uso de drogas. O rapaz teria sido a última pessoa a ser vista com o jornalista na noite que antecedeu o assassinato. Os levantamentos feitos pelos investigadores Renato Soares Caetano e Ildete Andrade Miranda apontaram o jovem como principal suspeito do crime.

— Refizemos todos os passos do jornalista nos últimos momentos de vida e ouvimos várias testemunhas. O adolescente foi chamado hoje à delegacia, acompanhado pela mãe, quanto tentaríamos confirmar a suspeita. Mas ele já chegou confessando o crime.

Demonstrando frieza, o adolescente revelou que estava transitando em uma praça da cidade quando manteve o primeiro contato com André Luiz. Após receber a proposta para o encontro íntimo, eles seguiram a pé até o imóvel em construção onde ocorreu o crime. Depois do desentendimento, o jovem ficou revoltado e exigiu que o jornalista pagasse pelo programa, mesmo sem terem mantido relações sexuais. Após simular que iria beber água, o rapaz se armou com um pedaço de madeira, retornou ao quarto e deu o primeiro golpe na cabeça da vítima. Mesmo sem que o jornalista esboçasse qualquer reação, ele continuou golpeando-o até a morte.

Ainda de acordo com o relato do adolescente, após pegar R$ 30 que a vítima tinha no bolso, ele fugiu do local. O celular de André Luiz foi deixado por temer que o aparelho fosse usado pela polícia para rastreá-lo, conforme relatou o próprio jovem. Sem demonstrar nenhum tipo de arrependimento pelo crime, o rapaz ainda contou à polícia que se assustou com a grande quantidade de sangue que corria pelo chão e teria usado o tênis do próprio jornalista para sair da casa sem sujar os pés. Ainda preocupado em não deixar pistas, dispensou o calçado em seguida.

Por fim, o adolescente fechou a casa, trancou o portão e jogou a chave sobre a cerca elétrica, o que fez o alarme disparar. Uma reconstituição será feita nos próximos dias, antes da conclusão do inquérito.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: R7

Comentar

Comentar