Há duas semanas, alguns ambulatórios no Suriname trabalham com o protocolo de hipertensão Suriname HEARTS, por meio do qual as pessoas cadastradas podem ser rastreadas quanto ao risco de doenças cardiovasculares. 

Os números das clínicas participantes desta iniciativa mostram que aproximadamente 52% das pessoas apresentam pressão arterial descontrolada. Embora os números ainda não sejam suficientes para tirar conclusões, eles mostram um quadro muito preocupante sobre o índice de pessoas com problemas de pressão alta na população. Estima-se a partir do estudo STEPS (2013) que aproximadamente 26% das pessoas com mais de 18 anos no Suriname sofrem de pressão alta. 

Estima-se que cerca de 75% das pessoas que sofrem de pressão alta não têm a pressão arterial controlada. A iniciativa HEARTS visa reduzir esse número para que as consequências dessa doença também possam ser retardadas ou adiadas, como amputações, infarto, AVC, paralisia, danos renais e assim por diante. 

O risco das complicações acima mencionadas aumenta em indivíduos que mantêm a pressão alta descontrolada por um longo período de tempo. A implementação da iniciativa HEARTS no Suriname é uma abordagem nacional para lidar com doenças cardiovasculares, controlando a pressão alta por meio do fortalecimento do sistema de saúde na atenção primária. Se as pessoas já estão familiarizadas com a hipertensão, devem seguir rigorosamente a medicação de acordo com as instruções do seu médico e seguir os conselhos de estilo de vida saudável, por exemplo; pelo menos 30 minutos por dia de exercício moderado a intenso, durante 5 dias por semana e comer uma dieta saudável de acordo com as diretrizes nutricionais nacionais lançadas recentemente para o Suriname. O Ministério da Saúde recomenda que todos os cidadãos com mais de 18 anos se registrem no seu médico e façam exames de risco para doenças cardiovasculares e verifiquem a pressão arterial regularmente.

Comentar

Comentar