Após fazer vários disparos, o pai também foi morto pelo EI.

Um homem iraquiano atirou e matou sete militantes do EI (Estado Islâmico) em um ato de vingança por seu filho ter sido executado pelo grupo terrorista, informou a imprensa local.

Publicidade

Basil Ramadan, que tem cerca de 60 anos, atacou um posto de controle do EI em Tikrit, cidade a noroeste de Bagdá.

Ele teria matado sete radicais e só parou a vingança porque foi morto em seguida.

O filho de Ramadan, Ahmed, de 18 anos, foi um dos oito homens executados por terem sido acusados de se infiltrar na organização para espionar em nome do governo iraquiano.

As execuções, como as  muitas outras feitas pelo grupo, foram filmadas e as imagens divulgadas na internet com o título “dia do julgamento”.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: R7

Comentar

Comentar