Agressor tinha ficado na mira das autoridades recentemente, ao viajar para a Turquia.

Três militares franceses ficaram feridos em um ataque na cidade de Nice nesta terça-feira. Eles patrulhavam uma área onde fica um centro comunitário judaico quando um agressor avançou contra os soldados com uma faca. O homem foi detido, e um possível cúmplice também foi ouvido pelas autoridades. Dois dos militares sofreram vários cortes leves e foram hospitalizados, enquanto o terceiro prestou depoimento na polícia.

Publicidade

O agressor foi identificado como Moussa Coulibaly, informou o jornal Le Monde, e já havia chamado a atenção da polícia de fronteira no final de janeiro, quando foi para a Turquia. As autoridades turcas foram informadas e ele teve de voltar à França. Ao retornar, prestou esclarecimentos, mas não foram recolhidas informações suficientes para justificar a abertura de uma investigação. O sobrenome Coulibaly é o mesmo do terrorista que matou uma policial e fez reféns em um mercado kosher em Paris, antes de ser morto pela polícia.

O prefeito de Nice, Christian Estrosi afirmou, em entrevista à emissora BFM TV que ainda é muito cedo para afirmar se foi uma ação terrorista ou de um “desequilibrado”. A promotoria antiterrorismo assumiu a investigação do caso. “É preciso se verificar se no entorno destes indivíduos há uma rede”, disse o prefeito. As imagens captadas pelas câmeras municipais no local do ataque estão sendo analisadas pelos investigadores.

Estrosi explicou que desde os atentados realizados no início deste ano em Paris não foi constatado um aumento de agressões, mas ressaltou que o incidente “levanta questões” e exige que as forças de segurança fiquem mais “atentas do que nunca”.

Após os atentados de janeiro, em Paris, o presidente francês, François Hollande, decidiu mobilizar 10.000 militares para protegerem pontos sensíveis por todo o país, entre eles centros judaicos e muçulmanos.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: Veja

Comentar

Comentar