Foto: Reprodução

Um Tribunal Superior considerou dois guianenses culpados de envolvimento no ataque pirata de 2018 na costa do Suriname, que resultou na morte de cinco homens.

Um júri de 12 membros considerou na segunda-feira o empresário Nakool Manohar, 43, e seu co-acusado, Premnauth Persaud, 47, culpados do crime depois que 20 pescadores que estavam em quatro barcos de pesca a 30 milhas da costa do Suriname foram atacados.

Manohar foi indiciado por duas acusações que alegam que, entre 14 de abril e 3 de junho de 2018, ele aconselhou, adquiriu e ordenou que Persaud e outros desconhecidos assassinassem os cinco pescadores.

Persaud foi indiciado por cinco acusações de crime capital de assassinato e, como Manohar, se declarou inocente, mas o júri deliberou por quase duas horas antes de considerar os dois homens unanimemente culpados do crime.

Dos 20 pescadores atacados, vários continuam desaparecidos e considerados mortos. Cinco homens sobreviveram.

Os homens, que perante a juíza Navindra Singh no Tribunal Superior de Berbice, negaram que, enquanto nas águas territoriais da Guiana, tivessem assassinado Mahesh Sarjoo, conhecido como “Kuba” e Tilaknauth Mohabir chamado “Camion” a bordo do navio Romina SK 764 durante o ataque de pirataria .

Comentar

Comentar