Foto: CDS
Publicidade

“Estamos passando por um desenvolvimento agressivo”, disse o vice-presidente da Guiana, Bharrat Jagdeo, durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira, dia 15, ao fazer referência às descobertas de petróleo e gás que seu país e o Suriname estão vivenciando.

“O Suriname está agora nessa posição com a descoberta de petróleo e gás. Queremos trabalhar juntos no desenvolvimento desses recursos, para que possamos usar a infraestrutura uns dos outros”. Ele acrescentou: “Certamente temos um futuro brilhante pela frente”.

Publicidade

A estimativa da Guiana é de que, nos próximos quatro ou cinco anos, a produção do país esteja igual a da Venezuela, ou seja, algo em torno de 1 milhão de barris por dia. “O país também trabalha em um projeto de obtenção de energia a partir do gás”, completou.

Em 2024, a capacidade de geração deverá ser de 250 megawatts e, como resultado, os preços da eletricidade na Guiana cairão pela metade. As obras de infraestrutura estão em pleno andamento no país vizinho para esses grandes empreendimentos industriais.

Acordos concretos foram feitos sobre o manejo florestal. Dez anos atrás, a Guiana desenvolveu sua estratégia de baixo carbono e, desde então, ganhou mais de US$ 200 milhões com sua floresta. “Não pelo corte de árvores, mas pelos benefícios para o clima”, observa Jagdeo.

Comentar

Comentar