Sexta-feira, 14 novembro, a empresa staatsbedrijf ”Grassalco” vai iníciar um projeto para produzir oficialmente ouro em Maripaston no distrito Para.

Sergio Akiemboto, diretor geral da Grassalco, espera que a empresa seja capaz de produzir pelo menos 65 quilos de ouro, nos primeiros 24 meses. A mina de ouro da Grassalco ainda produzirá pedras naturais,  o que está sendo visto como um grande desafio.

Publicidade

No domingo, 9 de novembro, Akiemboto, disse no programa Welingelichte Kringen da rádio ABC, que irá trabalhar com mercúrio, já que atualmente ainda não há alternativas. A Grassalco no entanto garante que o mercúrio não irá acabar no chão, mas sim será recolhido para reutilização. O metal tóxico é descarregado em córregos e rios principalmente na mineração ilegal de ouro.

A mineração de ouro significa um sonho realizado a longo prazo para a Grassalco. O número de garimpeiros ativos em Maripaston é de mais de dez mil e já foi reduzida a proporções controláveis.

A concessão Maripaston foi criada em 2011, mas na primeira fase o ouro é procurado nos montes de areia deixados para trás por outros garimpeiros e que ainda têm ouro suficiente para ser encontrado.

De acordo com o diretor da Grassalco, o trabalho será realizado pela primeira vez em uma pequena escala com o quadro local e assim se for necessário, será contratada mão de obra estrangeira.

Deixe seu comentário abaixo.

 

Comentar

Comentar