Com o seguro básico de saúde do Suriname, o estado vai poder economizar cem milhões de SRD com os custos médicos.

O seguro básico de saúde do governo vai cobrir o custo de determinados grupos da sociedade. Segundo o vice-presidente Robert Ameerali, o novo sistema de saúde será uma mudança no setor dos cuidados de saúde. Apesar dos cuidados de saúde serem caros, “o risco que o Estado tinha, foi passado agora para as companhias de seguro.” Afirmou o vice-presidente.

Publicidade

O vice-presidente disse que o governo a cada ano, investe 1 milhão de SRD no setor e que o dinheiro que sobra com o seguro básico de saúde, pode ser usado para pagar outros setores ou a melhoria do sector de saúde. Apesar dos progressos realizados neste setor, de acordo com o vice-presidente Ameerali, ainda não é o que deveria ser.

Na quinta-feira, 5 de fevereiro, as primeiras quatrocentos pessoas, que não podem pagar o seu seguro de saúde, receberão um cartão de seguro. O primeiro grupo era composto principalmente de donas de casa que têm mais de dois filhos. Alice Amafo, Ministra dos Assuntos Sociais e Habitação, fez uma apresentação mostrando que a discriminação múltipla não existira mais em nenhum cidadão através do sistema de cuidados com base na posição social, e que os outros cartões não serão mais válidos.

A ministra Alice assume que as pessoas que receberam o cartão de seguro na quinta-feira, 5 de fevereiro, não são realmente capazes de pagar o seguro. Segundo ela, o governo irá controlar isso. Mais de 43.701 beneficiários já se registraram nos mais de 6 distritos.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar