O governo do Suriname decidiu antecipar uma coletiva de imprensa para a noite deste domingo, dia 31, onde anunciou um salto no número de confirmados com a Covid-19, passando de 15 infectados para 23, sendo 13 ativos cumprindo quarentena. O país ratificou o “código vermelho” e fez um apelo à população para que mantenha atenta às medidas de saúde e segurança.

“É preciso que a população se mantenha informada sobre tudo isso junto aos meios de comunicação. O governo vai atualizar a população sobre todos os casos confirmados. Precisamos, no entanto, respeitar as medidas de saúde e segurança, principalmente, o distanciamento social, que deve ser de 1,5m a 2m”, disse Cleopatra Jessurun, diretora do Ministério da Saúde.

Publicidade

A transmissão no Suriname que, até então, era importada, passou a outra classificação e agora já é considerada local. “Precisamos redobrar os cuidados porque qualquer pessoa pode estar com o vírus, transmitindo e nem sabendo disso. Nesse momento, a transmissão no Suriname é local, ou seja, não se tem mais controle da origem, esta é a razão do código vermelho”, anunciou Cleopatra, na coletiva.

Outra medida que pode ser adotada pelo governo é o chamado “lockdown”, ou bloqueio total, na tradução para o português. A medida impede que a população saia de casa. A exceção fica para pessoas que exercem atividades essenciais, ou então, que que necessitem sair de casa para comprar produtos imprescindíveis, tais como alimentos, remédios e afins. Nesta segunda, haverá uma definição sobre o assunto.

Medidas de segurança

Além do distanciamento social, o governo do país pediu atenção máxima e lembrou a necessidade de tomar outros cuidados, como o uso de máscara, a lavagem das mãos, uso álcool em gel e manutenção do isolamento social. “Se você puder, fique em casa. Se precisar sair, use máscara. Em caso de dúvidas sobre a Covid-19, ligue no Hotline 178”, concluiu Cleopatra.

Deixe seu comentário abaixo

Comentar

Comentar