“Você não pode ver meu rosto por causa da minha máscara, mas posso garantir que tenho um grande sorriso no meu rosto.” A frase foi da ministra da Educação, Ciência e Cultura, Lilian Ferrier, ao receber 100 tablets Samsung que serão usados por alunos da rede educacional do Suriname.

Já Deonarine Gopaul, CEO da Digicel, “essa doação ocorre após discussões com o Ministério, que indicou que deseja fortalecer as estruturas educacionais do país com equipamentos tecnológicos, principalmente no interior. A ministra disse, ainda, que “quer melhorar a acessibilidade do ensino a distância para todos os alunos, mas também, a longo prazo, melhorar as habilidades digitais da comunidade estudantil”.

Publicidade

“Os tablets são muito bem-vindos e a maioria será disponibilizada ao Instituto Pedagógico do Suriname (SPI). O SPI realiza um programa especial no qual os estagiários são enviados para o interior para ensinar. A outra parte dos tablets será destinada a algumas famílias carentes, cujos pais me procuraram pessoalmente para obter ajuda. Muitas vezes, são famílias com um grande número de filhos, onde os pais não têm meios para comprar dispositivos caros para que as crianças possam seguir a educação on-line”, concluiu.

Desde o início da pandemia da COVID-19 no Suriname, a Digicel apoiou as autoridades. “A doação desses tablets é o primeiro passo para combater a desigualdade digital no Suriname, pois os estudantes são forçados a seguir a educação em casa durante essa pandemia. Quando nossa equipe de gestão começou a priorizar os esforços de assistência relacionados à crise do COVID-19, foi levantada a questão da desigualdade digital para estudantes nacionais”, disse o CEO da Digicel Suriname, da Deonarine Gopaul.

A Digicel planeja reduzir a taxa de vários sites educacionais para zero no futuro. Dessa forma, os alunos podem acessar o material do curso sem precisar usar os dados.

Foto: Digicel

Comentar

Comentar