O ministro Armand Achaibersing, de Finanças e Planejamento, Maurice Roemer, do Banco Central do Suriname (CBvS), se reuniram vitualmente com a missão técnica do Fundo Monetário Internacional (FMI) na terça-feira, dia 9. Em pauta, as possibilidades de cooperação entre o país e a entidade financeira.

“Durante a consulta, ficou enfatizado que o Suriname realizou um bom trabalho sem o FMI e outras instituições financeiras. Também ficou evidente nesta conversa que o Suriname implementará o Plano de Crise e Recuperação (CHP) em qualquer caso”, disse o ministro Achaibersing.

Publicidade

O FMI manteve conversações com representantes da Assembleia Nacional, do Banco Central do Suriname (CBvS), com outros ministros, instituições bancárias, organizações empresariais, ONGs, com a Associação dos Economistas do Suriname (VES) e o Conselho Econômico Social (SER).

Além disso, com as mineradoras, a associação dos titulares de câmbio, o procurador-geral, o Círculo do Consumidor e a Unidade de Inteligência Financeira. “O FMI referiu-se aos esforços desenvolvidos pelo Suriname. O lado surinamês, por exemplo, organizou consultas independentes”, completou Achaibersing.

As reuniões com o FMI continuam. Questões importantes como o reescalonamento da dívida e a taxa de câmbio necessitam de uma discussão mais aprofundada. “Deve ser dada atenção às consequências dessas medidas políticas, para a sociedade como um todo, mas especificamente para os grupos vulneráveis”, finalizou.

 

 

 

Comentar

Comentar