Publicidade

O Ministério da Saúde do Suriname confirmou que existe escassez de antibióticos e psicofármacos hospitalares no país. O governo atual acusa a gestão anterior de atrasar pagamentos à fornecedora dos medicamentos: a Medicines Provision Suriname (BGVS).

O débito, segundo o governo atual, é de aproximadamente US$ 3,5 milhões, algo em torno de SRD 54 milhões. “Dado o procedimento de pedido de medicamento, todo esforço é feito para repor o estoque deste medicamento dentro de uma semana”, disse o ministro Amar Ramadhin.

Publicidade

“As faltas serão compensadas para que a BGVS volte a poder comprar os remédios depois de mais de um ano. É de se esperar que esses remédios escassos cheguem de avião dentro de uma semana, porque o Ministério das Finanças está disponibilizando recursos extras”, adiantou.

A demanda foi comunicada aos presidentes do Conselho Nacional de Hospitais e a Associação dos Médicos no Suriname. “Uma solução rápida está sendo buscada no interesse da saúde e o governo está fazendo tudo o que pode para prevenir a recorrência deste inconveniente”, finalizou o ministro.

 

Comentar

Comentar