Testamos o Galaxy Note 4, e o novo top ‘gigante’ da Samsung tem tudo para ser o melhor foblet do mercado. Com uma tela quadHD de 5,7 polegadas, filmagem em 4K e a famosa caneta S-Pen, será que ele assume o lugar mais alto do pódio?

O Galaxy Note 4 chega para ser o novo top da companhia. Com tela quadHD de 5,7 polegadas, bateria que dura o dia inteiro e a famosa caneta S Pen, será que ele consegue assumir o posto de top dos tops? Confira o review do Galaxy Note 4 e saiba tudo sobre o “gigante” da Samsung.

Publicidade

Design

O Galaxy Note 4 é grande. Muito grande. Com dimensões de 153,5 x 78,6 x 8,5 mm, surgem as perguntas: é possível se acostumar com um smartphone desse tamanho? Dá pra segurar com uma mão só? Incomoda? Sim e não, para todas as perguntas. No início, tudo é bastante difícil: desde as tarefas mais comuns, como tirar um print da tela, até as mais específicas, como desbloquear o celular com o leitor digital. Tudo é mais complicado do que o normal, em um primeiro momento.

Porém, após alguns dias de uso, você começa a se adaptar e percebe que ter um smart grandão tem as suas vantagens: ver filmes, fotos, ler, jogar… tudo parece melhor e mais bonito em um celular de 5,7 polegadas. É claro que não daria pra ter essa impressão se o Note 4 não tivesse uma tela quadHD e um baita processador, mas o tamanho do display também contribui bastante para isso.

Apesar de ser difícil definir o que é e o que não é bonito, já que essa avaliação é bastante pessoal, não dá pra negar que o Note 4 é muito bem feito. A traseira de couro sintético tem uma textura agradável e ajuda a não deixar o aparelho escorregar das mãos. Além disso, o formato mais retangular dele proporciona uma boa pegada. Essas duas características contribuem, juntas com o peso de 176g – que é bem distribuído e não incomoda -, para que o usuário se adapte ao foblet rapidamente.

As bordas levemente arredondadas do Note, assim como a saída de som que fica em cima da tela, a câmera e o sensor na traseira, o logotipo da Samsung nas costas e os três botões do aparelho – de início, volume e de ligar/desligar -, têm detalhes prateados que o deixam muito sofisticado. A entrada para fone de ouvido fica na parte superior, e o formato da traseira se adequa a ela como uma pequena onda. A porta mini USB se localiza embaixo do celular, do lado da caneta S Pen. O botão para aumentar e diminuir o volume fica na lateral esquerda, enquanto o de ligar fica na direita.

Um ponto negativo é o formato da câmera. Como ela fica um pouco pra fora do smart, acaba destoando do restante do celular. Por isso, uma dica: não deixe o aparelho para vibrar no máximo enquanto ele estiver em cima de uma superfície lisa. A cada notificação que você receber, a vibração fará um barulho muito alto e irritante. E isso ocorre justamente por causa da câmera pra fora, que faz com que várias partes do Note 4 fiquem esbarrando na mesa.

Tela

O Galaxy Note 4 tem uma tela super Amoled de 5,7 polegadas – isso mesmo, você não leu errado: cinco vírgula sete polegadas. Como se não bastasse, o display é quadHD (resolução de 1440 x 2560 pixels) e tem densidade de 515 ppi, com 16 milhões de núcleos. O que tudo isso significa? Significa que o Note 4 proporciona uma das melhores experiências do mercado nesse quesito.

É verdade que, a partir da resolução Full HD, é difícil perceber a diferença na qualidade da imagem quando se trata de smartphones. Mas a tela do novo “gigante” realmente impressiona, e a combinação tamanho-resolução do aparelho resultou em um display de ponta. Para as pessoas que gostam de fazer tudo no celular – desde mandar e-mails, acessar redes sociais e jogar, até ler livros digitais e ver séries e filmes -, o Note 4 é o smart ideal.

O trio brilho, saturação e contraste trabalha com perfeição. Seja em locais com pouca iluminação – utilizando o nível mínimo de brilho – ou em lugares muito claros – colocando-o no máximo -, a tela tem um ótimo desempenho. Além disso, a textura das cores é bastante agradável e não cansa a vista, o que é ótimo para aqueles que curtem usar o celular para atividades que levam um pouco mais de tempo, como leituras e vídeos.

Vale ressaltar também que a tela é multitouch, ou seja, tem sensibilidade a mais de um toque, simultaneamente. Apesar de o display da maioria dos outros tops também serem, essa especificação é bastante útil ao utilizar a S Pen: ela permite que você apoie parte da mão no visor e, ainda assim, escreva com a caneta. A nível de resistência, outro ponto alto: a tecnologia Gorilla Glass oferece ao dono do aparelho a segurança de a tela será arranhada com facilidade.

Em comparação com os outros tops grandões, ele não deixa nada a desejar. Muito pelo contrário: ao lado do Nexus 6, do Google, e do G3, da LG, o Note 4 chega para assumir o lugar mais alto do pódio das telas de smartphones.

Desempenho

Não importa o tipo de usuário, o Note 4 é capaz de suprir todas as necessidades. Rodando o Android 4.4.4 KitKat – com atualização prometida para o Android 5.0 Lollipop -, o top da Samsung funciona com perfeição. Seja você adepto apenas às funções básicas de um celular, como utilizar os apps WhatsApp,Facebook, Instagram e Facebook Messenger, além das contas do Gmail e do Outlook (Hotmail), você estará bem servido com esse foblet. Na verdade, é até desperdício exigir tão pouco de um aparelho tão potente.

Agora, para quem gosta de ver filmes, tirar muitas fotos e baixar jogos pesados – como Batman, Asphalt 8e Fifa 15 Ultimate Team -, esse é o smart ideal. O tamanho da tela, somado com à capacidade do dispositivo, fazem dele quase um mini computador. Não que você vai deixar de usar um desktop ou jogar o notebook fora, mas boa parte das ações que são realizadas no PC podem ser executadas nele.

O Note 4 conta com um “senhor” processador Qualcomm Snapdragron 805, quad-core de 2,7 GHz (também há versões octa-core, com um quad-core de 1,3 GHz e outro quad-core de 1,9 GHz) e RAM de 3 GB. A memória interna é de 32 GB, com entrada para cartão de memória de até 128 GB. Números que vão deixar o foblet na crista da onda por um bom tempo – quem sabe até o anúncio do próximo Galaxy Note.

Ele também conta com NFC e Internet 4G, que funcionou sem problemas. Além disso, o top vem com um comando de voz bastante útil chamado S-Voice, que se saiu bem durante os testes. É possível saber qual é a previsão do tempo, pedir para mandar mensagem, WhatsApp ou ligar para alguém, agendar o despertador e, se for feita uma pergunta que o aplicativo não saiba responder, o assistente de voz procura que o que você disse direto no Google. O S-Voice pode acabar não sendo muito usado no dia a dia, mas em situações como, por exemplo, dentro do carro, onde é possível parear o foblet com o veículo via Bluetooth, fazer ligações e escrever textos fica mais fácil e seguro. E o melhor: tudo em português.

Já o recurso de mutijanela é interessante, mas não chega a ter muita utilidade prática. Ele pode ser uma boa pedida se você estiver acompanhando o tempo-real de uma partida de futebol ou de algum evento, mas a janela vai dificultar consideravelmente a navegação pelos outros apps do aparelho. Já o aplicativo nativo Fotos vem com alguns filtros e opções bem legais. Ele permite ajustar brilho, contraste e saturação, mudar o foco da imagem, além de incluir molduras.

Outro detalhe é o leitor digital que possibilita desbloquear o aparelho apenas deslizando o dedo sobre o botão de início do Note 4. Apesar de ser bem útil – além de ser, é claro, muito maneiro -, a verdade é que, como o smart é bem grande, deslizar o dedo da maneira e no lugar correto é um pouco difícil. Isso acaba fazendo com que o número de erros seja maior que o normal até você se acostumar. Nesse caso, o leitor digital dos iPhones 5S, 6 e 6 Plus leva vantagem.

S Pen

Depois que você se acostuma, a S-Pen passa a ser a sua melhor amiga (ou do Note 4, se preferir). Ela é leve, não escorrega e permite que você controle o aparelho sem nem encostar no celular. Ao posicionar a caneta próximo à tela, uma “bolinha” aparece para você visualizar exatamente onde ela está posicionada. Você também pode subir e descer páginas apenas colocando a caneta da barra superior ou inferior do display, que é um bom recurso para leituras mais longas. Além disso, a S-Pen também permite que você desenhe e escreva textos como se fosse uma caneta de verdade: no melhor estilo letra cursiva.

Apesar do medo inicial, pois a impressão é que a tela vai acabar sendo arranhada pela pontinha do dispositivo, e de ser necessário aplicar um pouco mais de força do que era preciso no irmão mais velho Galaxy Note 3, a S-Pen do 4 é muito boa e útil. Ela conta com um único botão, que ativa o Comando Suspenso da caneta. No formato de um semi-círculo (semelhante a uma paleta de pintura), ele oferece quatro funções: o Lembrete de Ação, que é o bloco de notas da S-Pen, a Seleção Inteligente, para tirar print de apenas uma parte específica da tela, o Clipe de Imagem, que permite selecionar qualquer área do display em formato livre, e a Escrita na Tela, para fazer anotações em cima do visor.

O Note 4 também conta com um aplicativo nativo chamado S Note próprio para a caneta. O app oferece vários formatos: desde páginas totalmente em branco para desenho livre, até laudas com linhas para fazer anotações usando o teclado. Mas o grande detalhe do S Note está em outro recurso. Ao abrir a câmera dentro do aplicativo, é possível tirar fotos de textos em outdoors, cálculos em um caderno, frases em camisas, quadros ou em qualquer outro lugar que o S Note transforma essa foto em um arquivo editável.

Imagine o seguinte: você está na aula de matemática, mas esqueceu de levar o seu caderno para fazer anotações (ou, simplesmente, está com preguiça de escrever). Com o recurso da câmera no S Note, você fotografa todas as equações que o professor colocou no quadro. Ao invés de salvar a imagem como foto para transcrever para o caderno depois, o aplicativo abre a imagem, reconhece as letras e números e converte o arquivo, permitindo que você apague apenas algumas partes, escreva por cima, faça correções, tudo com a S Pen no Galaxy Note 4. Se quiser, depois de ter feito todas as alterações, dá pra salvar em PDF. Essa, de fato, foi uma das grandes sacadas da Samsung pro novo top.

Câmera

A câmera traseira de 16 megapixels do Note 4 é muito boa e dá conta do recado. Mas o que realmente impressiona é a frontal: com 3,7 MP, ela faz selfies de alta qualidade, melhores do que a maioria dos smarts. As imagens ficam com boa resolução e captam detalhes que as câmeras da frente não costumam pegar. Mesmo em ambientes escuros, a qualidade da foto é mediana e, levando em consideração que se trata da câmera frontal, o resultado é ótimo. Agora, se você for tirar aquela selfie com a galera, use o modo Selfie Panorâmica para aumentar o ângulo de captura da câmera e não deixar ninguém de fora.

Além desse recurso, a Samsung também incluiu um sensor de disparo logo abaixo da câmera traseira: para tirar uma selfie, basta colocar o dedo em cima. Quando uma luz vermelha acender, é só desencostar o dedo que a foto é registrada. Como o celular é grande e pressionar o botão da tela para fotografar pode ser um pouco complicado para quem tem mãos pequenas, o recurso é bastante útil. A frontal ainda conta um modo que permite “limpar” o rosto, retirando marcas e espinhas. Mas cuidado para não exagerar e ser motivo de piada: a partir do nível 3 (o recurso vai de 0 a 8), já começa a parecer forçado.

A câmera do foblet conta com função HDR, detector facial e de sorriso, estabilizador, temporizador (de 2, 5 e 10 segundos), oferece controle de branco, ISO e de exposição, e tem abertura de F2.2. Apesar de não poder ser comparado com os aparelhos da Nokia à nível de fotografia, como o Lumia 1020, o Note 4 consegue fazer imagens muito boas em locais com iluminação adequada. Se a luz ambiente não for a ideal, ainda assim as fotos ficam acima da média.

O Note 4 também manda bem em vídeos. Ele grava em 4K, e o estabilizador se mostrou muito útil nas filmagens. As imagens ficam bem nítidas e claras, ótimas para gravações caseiras. Ela também conta com modos de câmera lenta e rápida. Em ambos os casos, ela oferece opções de aumentar ou diminuir o tempo em duas, quatro ou oito vezes. O resultado fica bem bacana, mas o vídeo da câmera lenta aparenta estar travando ou pulando alguns frames.

No quesito câmera lenta, os iPhones 6 e 6 Plus obtêm resultados mais satisfatórios. Sobre fotos de um modo geral, o Lumia 1020 é uma opção bem melhor e mais em conta – a câmera é uma PureView de 41 megapixels, e pode ser encontrado por R$ 1.600.

Bateria

O grande problema de celulares muito potentes, em alguns casos, é a bateria. Por exigirem muito, os aparelhos acabam descarregando rapidamente, mas esse não é o caso do Note 4. Com 3.220 mAh, o smart aguenta o dia inteiro e mais um pouco. Ou seja, se você sair logo cedo, por volta das 8h, e esquecer de colocar o smartphone pra recarregar ao chegar em casa, antes de dormir, fique tranquilo. No dia seguinte ainda vai ter um pouco de bateria no top da Samsung. E mais: o aparelho vai de 0% a 50% com apenas 30 minutos de recarga.

Agora, se você precisar exigir muito dele durante o dia, é provável que o Note 4 já esteja “morrendo” por volta das 21h. Se isso acontecer e você ainda estiver na rua, utilize o modo de ultrabateria. Em nossos testes, ao ativarmos o recurso quando o Note 4 tinha apenas 1% de carga, o aparelho continuou ligado durante pouco mais de 20 minutos – sim, vinte minutos. Detalhe: utilizando o WhatsApp e o Facebook em alguns momentos (é possível deixar até seis aplicativos acessíveis enquanto a ultrabateria estiver sendo usada).

Custo-benefício

Não há como negar que o Galaxy Note 4 é caro. Não chega ao preço do iPhone 6 Plus (o mais barato é R$ 3.600 e o mais caro custa R$ 4.400), mas desembolsar R$ 2.900 em um smartphone não é pouca coisa. Agora, ao levar em consideração o desempenho geral do aparelho – tela quadHD de 5,7 polegadas, hardware de ponta, vídeos em 4K, caneta S Pen, bateria que dura o dia inteiro e corpo de metal e de couro -, o investimento vale a pena. É claro que não é pra fazer loucuras e se endividar, já que o mercado oferece bons celulares de ótimo desempenho com preços mais acessíveis, como o novo Moto X e oGalaxy S5. Mas se você quiser gastar um pouco mais, o “gigante” Galaxy Note 4 vale cada centavo.

 

Comentar

Comentar