Quatro barcos de pesca foram atacados por piratas na noite da última sexta-feira (27), e um total de 16 pessoas estão desaparecidas.

Segundo relatório de quatro pescadores que foram resgatados, três dos quatro barcos foram recuperados e um foi afundado.

Publicidade

“Meus filhos e eu precisamos desesperadamente dele, porque ele significa tudo para nós “, disse a esposa do capitão de um dos barcos de pesca que está desaparecido. O comandante da Guarda Costeira, Jerry Slijngard, nega que a busca pelos pescadores desaparecidos tenha sido interrompida. “No momento, temos um barco da Guarda-Costeira fazendo buscas na área e um avião da Blue Wings também foi enviado na segunda-feira para procurar perto do litoral. Afinal, é possível que as pessoas tenham chegado à terra, onde são difíceis de ver de um barco”, afirmou o comendante da Guarda-Costeira, Jerry Slijngard nesta quarta-feira, 2 de maio.

O ministro Stuart Getrouw, da Justiça e Polícia, afirmou em um comunicado de imprensa que as buscas foram iniciadas logo após a polícia ter tomado conhecimento do fato e que as famílias dos pescadores podem contar com todo o apoio possível para a localização dos pescadores desaparecidos e a apuração dos responsáveis por esse ataque.

De acordo com o comandante da Guarda-Costeira, há uma certa dificuldade para entrar em contato com os familiares porque todos moram na Guiana Inglesa e isso tem dificultado na coleta de informações sobre os pescadores. O ministro da Justiça e Polícia enfatizou que providências serão tomadas para que o trabalho dos pescadores seja mais seguro no futuro como a implantação em todos os barcos de pesca de um sistema de GPS e uma melhor organização através da Associação de Pescadores.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar