Caso aconteceu na estação de metrô de Parsons Green, em Londres, na manhã desta sexta. Vinte e duas pessoas ficaram feridas, mas não correm risco de morrer.

Vinte e duas pessoas ficaram feridas em uma explosão dentro um metrô lotado na estação de Parsons Green, em Londres, na manhã nesta sexta-feira (15). De acordo com os serviços de emergência, nenhum paciente corre o risco de morrer.

Publicidade

A estação fica na District line, que leva ao bairro de Wimbledon, onde é realizado o torneio de tênis mais importante do mundo. A polícia trata o incidente como terrorismo.

Não há ainda informações sobre as circunstâncias da explosão, que aconteceu às 8h20 (4h20, no horário de Brasília). Um repórter do jornal “Metro”, de Londres, disse ter visto pessoas com queimaduras no rosto, de acordo com o “The Guardian”. O serviço de resgate levou 18 pessoas para receber atendimento em hospital e outras quatro procuraram cuidados médicos voluntariamente.

As imagens mostram um balde branco em chamas dentro de um saco de supermercado, porém a explosão não prejudicou aparentemente a estrutura do vagão. Segundo as autoridades antiterrorismo, o que explodiu foi um “artefato improvisado”.

A TV Sky News afirmou, citando fontes não identificadas, que o dispositivo utilizado para provocar a explosão não foi totalmente detonado, segundo a Reuters.

Investigação

O comando antiterrorista de Scotland Yard, S0 15, assumiu a liderança na investigação e mobilizou centenas de investigadores. A primeira-ministra britânica, Theresa May, irá se encontrar com o comitê de emergência do governo para discutir o incidente.

“Meus pensamentos estão com os feridos no Parsons Green e os serviços de emergência que estão respondendo bravamente a este incidente terrorista”, afirmou no Twitter.

Natasha Wills, assistente do diretor de operações das ambulâncias disse que a prioridade é avaliar a gravidade e a natureza dos ferimentos. “Mais informações seguirão quando o tivermos”, afirmou.

“Estamos atendendo a um incidente em Parsons Green. A estação foi fechada”, informou a Polícia de Transportes de Londres. Várias ruas no entorno da estação foram bloqueadas. Cães farejadores também foram levados ao local.

A estação foi fechada e o tráfego na District Line está interrompido. A Transport for London (TfL), que opera o Metro da capital britânica, informou que investiga o incidente e pediu aos usuários do metrô que evitem o local e busquem outras alternativas de transporte.

O incidente provocou pânico em usuários do metrô. Houve correria e muitos correram para fora da estação.

Repercussão

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, condenou o atentado e disse que “como Londres demonstrou tantas vezes antes, o terrorismo não intimidará nem vencerá”.

“A nossa cidade condena inteiramente esses indivíduos que tentam usar o terror para nos fazer dano e destroçar nossa forma de vida. Como Londres demonstrou uma e outra vez, o terrorismo não nos intimidará nem nos vencerá”, declarou o prefeito através de um comunicado obtido pela agência Efe.

Khan também afirmou que vai reforçar a presença policial na cidade de Londres, principalmente na rede de transportes da metrópole.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tuitou em sua conta pessoal sobre o ataque: “Outro ataque em Londres por um terrorista perdedor. Há pessoas doentes e dementes que estavam no radar da Scotland Yard. É preciso ser proativo!”

Fonte: G1

Comentar

Comentar