Mapa da vacinação na América Latina. Arte: LPMNews

A tão esperada vacina para conter a Covid-19 ainda é artigo de luxo para a maioria dos países da América do Sul. Apenas o Brasil, Argentina, Bolívia, Equador e Chile iniciaram, a passos lentos, as imunizações. O Suriname e outras cinco nações, além do território ultramarino da Guiana Francesa, seguem sem data certa para iniciar o processo das aplicações.

Em janeiro de 2020, o governo de Chan Santokhi chegou a anunciar que receberia as primeiras 25 mil doses da vacina Pfizer e BioNtech no começo deste mês, o que não aconteceu como programado. Depois disso, um novo prazo foi anunciado, para o final de fevereiro ou começo de março. De qualquer forma, não existe uma data para iniciar a vacinação.

Publicidade

O Ministério da Saúde do Suriname também não anunciou, até agora, um plano nacional de imunização. Em janeiro, chegou a falar em coletiva que os idosos e profissionais da linha de frente seriam os primeiros a serem beneficiados. Por outro lado, a vacina da AstraZeneca chegará em maior quantidade, com quase 80 mil doses, só que o prazo foi “até o final do primeiro semestre”.

As mais de cem mil doses que vão chegar ao Suriname até julho serão suficientes para imunizar pouco mais de 16% da população total, que sofre, dia após dia, com o avanço da Covid-19. Já são mais de 8.500 casos confirmados da doença e 158 óbitos, sendo 33 somente em janeiro, o pior mês da pandemia no país, segundo levantamento do LPM News.

Em situação melhor estão, claro, os países que iniciaram o processo de imunização. Os números ainda não são tão animadores, pois, nenhum membro da América do Sul atingiu sequer os 2% de vacinação. O melhor posicionado proporcionalmente é o Chile, com 1,53% da população devidamente vacinada. Em seguida vem o Brasil, com 1,45%.

No mapa acima, a tonalidade mais escura do azul reflete a intensidade das imunizações. Quanto mais forte a cor, maior o índice. Um tom mais claro, a Argentina aparece em terceiro lugar, com 0,98%. Equador e Bolívia completam a lista com 0,4% e 0,3%, respectivamente. Peru e Paraguai fecharam com Pfizer e BioNtech e devem ser os próximos a imunizar.

Já começaram a vacinar (% por população vacinada)

Chile – 1,53%
Brasil – 1,45%
Argentina – 0,98%
Equador – 0,4%
Bolívia – 0,3%

Vacinação começando até março 

Suriname – Pfizer/BioNTech e Astrazeneca
Peru – Pfizer/BioNTech
Paraguai – Sputnik V
Uruguai – Pfizer/BioNTech e Sinovac

Não anunciou data para começo da imunização

Colômbia – Sinovac
Venezuela – Sputnik V
Guiana – Não tem contrato fechado com nenhum laboratório
Guuiana Francesa – Astrazeneca

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar

Comentar