Pai de Romênia Brito encontra os netos nesta terça. Foto: LPM News

O pai da brasileira morta no Suriname na semana passada, Francisco Saraiva, chegou nesta terça-feira, dia 1º, na vila onde a filha tinha um restaurante e morava com o marido, principal acusado do crime. Ele foi buscar as crianças, que estavam com uma vizinha. Na foto, obtida com exclusividade pelo LPM News, os meninos aparecem com o avô. O retorno para Paramaribo acontece nesta quarta.

De acordo com uma fonte da reportagem, Seu Francisco já teria conseguido uma autorização da Justiça do Suriname para retornar ao Brasil com as duas crianças. “O juiz lá assinou autorizando a viagem. Acho que essa questão dos meninos deve tá resolvido já. Agora o problema é a questão funerária e o voo para trazer o corpo para o Brasil”, adiantou ao LPM News.

Publicidade

O custo para trazer o corpo de Romênia Brito ao Brasil está estimado em R$ 64 mil. Até o momento, com as doações e arrecadações, a família já teria conseguido cerca de R$ 10 mil. “Já conseguiram uns dez mil reais, mais ou menos. A dificuldade maior é que o custo total é de 12 mil dólares e com o dolár lá em cima…”, afirmou o irmão da brasileira, Rauli Brito.

O voo de volta de Francisco com as crianças para o Tocantins ainda não está definido, segundo adiantou Rauli Brito nesta terça-feira. Quem quiser ajudar pode fazer doações em uma nova conta disponível pelos familiares: Caixa Econômica Federal, Conta Corrente: 00029420-0, Agência 2812, Operação 013, em nome de Raulingstoni Brito Reis, de CPF: 041.229.341-25.

Entenda o caso

Dona de um restaurante em uma vila, localizada na divisa entre o Suriname e a Guiana Francesa, a tocantinense Romênia Brito, de 28 anos, morreu na última segunda-feira, dia 23. A brasileira é natural de Buriti, pequeno município de dez mil habitantes, distante 180 quilômetros de Marabá, no Pará, e 600 de Palmas, capital do Tocantins.

O marido da vítima é apontado como autor das facadas. Logo após o crime, ele foi levado pela polícia para Paramaribo. Em depoimento, na última quinta-feira, dia 26, o acusado afirmou que Romênia Brito teria cometido suicídio. A polícia ainda investiga o caso e o mantém preso.

Romênia Brito morava fora do Brasil desde os 16 anos. Foto: reprodução

Comentar

Comentar