De acordo com a empresa de Energia do Suriname (EBS) as 10 mil conexões realizadas no ano passado faziam parte do plano de ação da empresa para expandir o fornecimento de energia elétrica no país.

O números foram apresentados pela EBS através de um relatório emitido nesta terça-feira, 9 de janeiro.

Publicidade

No total, a EBS conseguiu realizar um total de 10.039 conexões em 2017 através da eficiência e dos enormes esforços das equipes de conexão e outros funcionários que alcançaram uma produção anual nunca antes alcançada. A empresa estatal de energia informou que para alcançar esse objetivo o processo de conexão foi melhorado. Em bairros onde as conexões múltiplas podiam ser imediatamente realizadas, estes casos eram agrupados e, em outros casos, os candidatos eram atendidos por ordem de pagamento. Desta forma, não só os clientes recebem uma conexão mais rápida, mas para a empresa também significa economia de combustível e assim a EBS reduziu o tempo de espera para as conexões mais simples para o prazo máximo de 2 semanas.

Para atingir o objetivo de 10.000 ligações elétricas residenciais, técnicos adicionais foram implantados dentro da organização para fortalecer as equipes de conexão durante a implantação do programa em 2017.

O fluxo de caixa inadequado da empresa é um grande desafio a ser superado e também é o motivo para um maior tempo de espera nos casos de fornecimento. Em média, uma conexão com instalações de rede custa cerca de US$ 10.000 e os custos de conexão atuais que o cliente paga cobrem apenas cerca de 20% dos custos reais. Esta contribuição pessoal é longe de ser suficiente para cobrir os custos e a diferença ainda precisa ser coberta pela EBS que utiliza materiais de conexão que são importados dos EUA e pagos em dólares americanos, o que é um problema devido à falta de finanças disponíveis e à questão do mercado cambial.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar