Gol Linhas Aéreas — Foto: Luiz Paulo

A queda da taxa de ocupação da Gol registrada em novembro indica que a companhia aérea aumentou os preços das passagens aéreas para recuperar sua margem de lucro, após um período de perdas acumuladas com a pandemia da Covid-19. A avaliação é dos analistas Victor Mizusaki (Bradesco BBI) e Wellington Lourenço (Ágora Investimentos), em nota enviada aos clientes, nesta segunda-feira (6).

Eles comentaram os resultados prévios de tráfego de novembro divulgados antes da abertura do pregão da B3. A taxa de ocupação caiu de 84,4% para 82,1%, uma redução de 2,3 pontos percentuais. “A diminuição da taxa de ocupação sugere que a Gol continua a aumentar as passagens aéreas para aumentar a margem Ebitda. Esperamos que esta tendência continue em 2022″, escreveram os dois analistas.

A companhia divulgou ainda que oferta total (ASK, sigla em inglês para Assentos‐Quilômetros Oferecidos) aumentou em 20,4%, o total de assentos cresceu em 26,5%, e o número de decolagens evoluiu 28,7%. A demanda total (RPK, sigla para Passageiros-Quilômetros Transportados) da Gol subiu 17,1% em novembro.

No mercado doméstico, a oferta da Gol cresceu 17,6%, e a demanda teve incremento de 4,8%. Já o volume de decolagens aumentou 27,4%, e o total de assentos avançou 25,3%. No mercado internacional, a oferta foi de 61 milhões, a demanda da Gol foi 43 milhões, e a taxa de ocupação foi 70,2%, marcando a retomada de voos da Gol em mercados internacionais. No total, a Gol transportou 1,998 milhão de passageiros em novembro, 24,4% acima do registrado em igual mês de 2020 (1,604 milhão).

Alta temporada

O início da alta temporada de verão deve manter esses números em rota de expansão. Entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022, a Gol espera realizar, em média, 700 decolagens diárias, um acréscimo de 6 mil novas operações. Em comparação com novembro de 2021, houve um incremento de 60% na oferta da Gol para estes dois meses, que, tradicionalmente, apresentam demanda mais acentuada por viagens de lazer.

Frente à pré-pandemia (janeiro de 2020), as operações da alta temporada 2021/2022 alcançam uma recuperação de 95% da oferta doméstica da companhia. Os 700 voos diários representam, ainda, um aumento da disponibilização de decolagens de 60% em mercados não regionais (de capitais para capitais) e 60% em mercados regionais.

Em dezembro e janeiro, a Gol retoma operações em bases nacionais e internacionais atendidas anteriormente e lança novos destinos. No próximo dia 19, retornam os voos para Buenos Aires – com pouso no Aeroparque (AEP), o aeroporto central da capital portenha -, e, em 9 de janeiro de 2022, as decolagens de Belém (BEL) para Paramaribo (PBM), capital do Suriname.

Comentar

Comentar