A decisão foi tomada pelo comissário distrital de Paramaribo, Mike Nerkust, na quinta-feira, 18 de janeiro.

A licença de funcionamento foi caçada com base em um relatório da polícia e o bar e sala de dança “Shisha Lounge” não poderá mais abrir as portas.

Publicidade
Foto: KPS

O nome do “Shisha Lounge” foi parar novamente nas páginas policiais depois que um segundo homicídio aconteceu dentro do estabelecimento na sexta-feira passada quando um homem foi baleado e morto pelo filho adotivo do dono do Shisha Lounge.

O assassino procurado pela polícia e filho adotivo do dono do Sisha Lounge é o holandês Dafnon Murry van der Meer, de 33 anos de idade, que até agora não foi preso pela polícia. Existe a suspeita de que o acusado conseguiu sair do Suriname através da vizinha Guiana Francesa. Entretanto, a licença do Shisha Lounge foi cancelada definitivamente esta semana pelo comissário distrital Mike Nerkust depois que a polícia descobriu que os pais de Dafnon Murry forneceram o nome falso do filho que foi divulgado pela polícia.

Os moradores locais ficaram satisfeitos com a decisão da suspensão da licença do Sisha Lounge, uma vez que, essa era uma petição antiga dos moradores que não suportavam mais o barulho e a violência que acontecia no local.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar