Foto: Luiz Paulo
Publicidade

A situação financeira, os desafios, cortes, perspectivas, impacto da Covid-19 nas operações comerciais, propostas no que diz respeito à frota, além de possíveis medidas para tirar a companhia da crise. Esses foram alguns pontos apresentados pela direção da Surinam Airways (SLM) a uma comitiva do presidente Chan Santokhi.

O chefe de estado, por outro lado, pediu aos representantes da SLM que também considerem como outras empresas de aviação estão lidando com as mesmas dificuldades. “Também examinem as oportunidades crescentes de aumentar as receitas”, adiantou Chan Santokhi.

Publicidade

O ministro Albert Jubithana, de Transporte, Comunicação e Turismo, também levantou alguns pontos para melhoria. Ele cita como exemplo a petroleira francesa que vai levar pessoal técnico de Paris via Guiana Francesa, para eventualmente transportá-lo para o Suriname em aeronaves menores.

Os planos da American Airlines para iniciar voos para o Suriname neste ano também foram discutidos. O presidente perguntou aos presentes se esse desenvolvimento deveria ser visto como uma ameaça ou uma oportunidade. Ele considera apropriado que a companhia aérea surinamesa busque maneiras de cooperar.

“É intenção que a SLM desenvolva um plano completo de como as operações comerciais se tornam lucrativas”, considerou. O presidente frisou que aguarda o plano de recuperação da gestão da empresa, “porque se trata de uma crise grave”, finalizou Chan Santokhi, ao final do encontro.

 

Comentar

Comentar