Reunião entre Nerkust e Moestadja mostrou alternativas para combater o trabalho forçado e o ingresso ilegal de mulheres no Suriname.

Reunião entre Soewarto Moestadja e Mike Nerkust — Foto: Bic Paramaribo Noord-Oost

O crescimento expressivo na quantidade de mulheres estrangeiras no centro da capital exercendo atividades de prostituição chamou atenção de Mike Nerkust, comissário do distrito de Paramaribo no Nordeste. A situação foi informada ao Ministro do Trabalho, Soewarto Moestadja, e o que mais preocupa as autoridades é a entrada ilegal dessas pessoas no país.

Para ingressar no Suriname ilegalmente, a maioria das mulheres é atraída pela falsa oportunidade de trabalho, quando, na realidade, serão vítimas de trabalho sexual forçado em Paramaribo. Porém, este mercado está cada vez mais competitivo e isso também tem resultado em outros problemas, como, por exemplo, em briga entre as próprias garotas de programa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nerkust e Moestadja estiveram reunidos em audiência para tratar o assunto. Foram apresentadas algumas alternativas para diminuir o problema e devem ser colocados em práticas num curto espaço de tempo. O ministro Moestadja também se comprometeu em combater o tráfico de pessoas e o trabalho forçado em decorrência dessa prática internacional.

Em 2018, o Ministério do Trabalho já havia sinalizado a adesão do Suriname na Convenção Contra o Trabalho Forçado. Moestadja indicou, por fim, que todas as formas de trabalho forçado devem chegar ao fim em breve.

Foto: LPM

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar