A costureira Cirley da Silva, de 46 anos, foi morta com golpes no pescoço após uma sessão de sexo a três na cidade de Goiânia (GO).

O casal suspeito de envolvimento no crime foi detido e afirmou ter matado a mulher após revelar que era soropositiva.

Publicidade

A família da vítima, por outro lado, contesta essa versão.

Os dois suspeitos foram identificados como Edilamárcia Alves e Léverson Ribeiro.

Eles conheceram Cirley da Silva em um bar e, após beberem juntos, foram até a residência do casal para fazer sexo.

Após a relação sexual, a costureira teria revelado ser soropositivo, de acordo com o depoimento do casal, o que motivou a esfaquear a vítima seis vezes no pescoço.

Logo após o crime, o casal voltou ao bar onde conheceu a vítima para vender eletrodomésticos.

Segundo a polícia, Léverson e Edilamárcia levaram o corpo de Cirley enrolado em um cobertor para uma área de matagal em um carro emprestado.

FAMÍLIA NEGA VERSÃO

A família de Cirley não acreditou na versão apresentada pelo casal.

Os parentes dizem que a verdadeira motivação do crime seria dinheiro, pois a costureira teria recebido o pagamento de aluguel de algumas casas.

Fonte: Dol

Comentar

Comentar